Economia deve valorizar os recursos naturais, diz representante da ONU para mudanças climáticas

João Coscelli

17 de junho de 2012 | 18h30

Agência Brasil

A secretária executiva da Cúpula das Mudanças Climáticas da Organização das Nações Unidas (ONU), Christiana Figueres, disse neste domingo, 17, que o mundo não pode mais se dar ao luxo de ter um sistema econômico que não valorize os recursos naturais. Ela participou do Rio Climate Challenge, evento paralelo à Rio+20 que busca soluções para as mudanças climáticas.

A proposta de dar um valor econômico aos “serviços prestados” pelos recursos naturais foi uma das sugestões do Rio Climate Challenge, que será encaminhada aos chefes de Estado e de Governo que participarão da Rio+20 nesta semana.

“As ciências econômicas precisam mudar sua visão e passar a ver os recursos naturais como algo onde está o valor para os próximos 50 anos. Se não transformarmos isso no centro da nossa estrutura econômica, nós não vamos resolver o problema”, disse.

O Rio Climate Challenge, que reuniu especialistas de 14 países, também propôs que o conceito de Produto Interno Bruto (PIB), que hoje mede a riqueza de uma nação com base apenas na soma de bens e de serviços produzidos, seja transformado para medir também o grau de sustentabilidade de um país.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.