‘Todos ganham, todos perdem’, diz chefe da delegação brasileira

João Coscelli

19 de junho de 2012 | 14h10

Felipe Werneck – O Estado de S. Paulo

Em meio a muitas críticas de delegações e organizações não governamentais ao texto aprovado em plenária por volta das 13h desta terça-feira, 19, o embaixador Luiz Alberto Figueiredo Machado, chefe da delegação brasileira na Rio+20, afirmou ao Estado, ao deixar a sala da conferência, que a negociação foi um “grande êxito” e classificou o documento como “estupendo”.

“Foi maravilhoso, todos gostaram do texto e apoiaram. Foi um grande êxito, você deve ter ouvido as palmas.” Ele afirmou que as resistências da delegação da União Europeia, que defendia um documento mais ambicioso, foram contornadas com “muito trabalho, muita negociação e muito esforço, buscando sempre um equilíbrio entre as posições e deu certo”.

“Isso é negociação, todos ganham, todos perdem. Encontramos um equilíbrio que foi suficiente para todo mundo”, concluiu.

De acordo com Rubens Harry Born, da organização Vitae Civilis, a delegação americana afirmou, nas considerações finais da plenária, que não aceitaria que nenhum ponto do texto negociado fosse aberto. Se algum item fosse modificado, principalmente à mudança em relação ao status do Pnuma, todo o documento teria de ser rediscutido.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: