Messi para na marcação do fisco

robertolira

12 de junho de 2013 | 12h03

A habilidade de Messi em driblar adversários também foi usada fora dos campos. O craque do Barcelona e da seleção argentina está sendo investigado pela receita catalã por uma possível fraude de 4 milhões de euros entre 2007 e 2009, informa a edição de hoje do diário El Pais

O esquema teria sido elaborado pelo pai do atacante em 2005 – quando Messi era menor de idade. Pelo suposto esquema, os direitos de imagem do craque eram cedidos para sociedades montadas em paraísos fiscais, como Belize e Uruguai. Depois, eram repassados por meio de contratos de licenciamento, agenciamento ou prestação de serviços em empresas montadas em outros países, como Suíça e Reino Unido. O dinheiro circulava por onde não sofria tributação mais pesada e sem o conhecimento da fazenda pública espanhola.

Como a receita de lá, digamos, acertou a marcação, a tabelinha de dribles de Messi e de seu papá parou de funcionar. Os delitos preveem punição com prisão de dois a seis anos e multas que variam do dobro a até seis vezes o valor fraudado.

Como estima-se que Messi receba anualmente cerca de 35 milhões de euros, pode-se supor que um acordo sigiloso seja acertado nos próximos meses.

O jogado vai voltar a driblar apenas os pobres defensores, para prejuízo só deles.

Tudo o que sabemos sobre:

BarcelonafraudeMessi

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.