2011 vem aí e o futebol paulista precisa reagir

Robson Morelli

09 de dezembro de 2010 | 10h32

Estou falando das competições que interressam. Em 2009, deu Flamengo no Brasileiro. Este ano, Fluminense. O Botafogo quase chegou lá. Inter e Grêmio figuraram lá no topo das tabelas. O time de Renato Gaúcho até conseguiu vaga na Libertadores com o fracasso do Goiás na Sul-Americana. O Cruzeiro foi segundo do Nacional. Aquela hegemonia dos paulistas ficou para trás. E deverá ser assim também em 2011. Vejamos:

SÃO PAULO
Tem um time razoável, peças interessantes, como o garoto Lucas, e está se reforçando. Se Juan, do Flamengo, se acertar, o Tricolor ficará mais forte. Só precisa manter a zaga ou trazer reforços da mesma qualidade. Com Carpegiani, o time parece que se reencontrou. Precisa deixar um pouco as frescuras de lado e pensar no futebol, principalmente da parte de sua diretoria, que este ano esteve sempre envolvida em discussões outras que não o time propriamente. A recusa do Morumbi para a Copa de 2014 quebrou as pernas do clube.

CORINTHIANS
Não acredito muito na força do Corinthians em 2011. E por um simples motivo: o clube vai se preocupar mais com o Itaquerão do que com o futebol. Vai viver em 2011 o que o São Paulo passou em 2010. E isso não é uma crítica. É natural que Andres se envolva com o maior sonho do corintiano: o estádio. Ronaldo já disse que quer fazer uma despedida da carreira honrosa. Isso é bom. Mas seu corpo já não lhe pertence mais. Se chegar Adriano, o negócio fica melhor, pelo menos no começo ou até ele emagrecer, se emagrecer. A equipe perdeu Elias e isso fará muita falta. É preciso também fazer uma limpa nos jogadores que não são utilizados e trazer sangue novo. O time parece desgatado com a pressão que viveu nesta temporada. Alguma coisa precisa ser feita. Senão…

PALMEIRAS
É o mais desorganizado de todos. Não tem time nem diretoria competentes. Há no elenco meia dúzia de jogadores que podem render um pouco de caldo, mas é só. E não tem dinheiro para contratar ninguém. Está nas mãos de Felipão e na sua capacidade de convencer amigos jogadores a vir para o clube. Difícil. O Palmeiras passa a impressão de clube de várzea. E também estará em 2011 preocupadíssimo com sua arena. Tem eleições para presidente e até lá (janeiro) nada será decidido. Dependendo de quem ganhar, ficará até pior.

SANTOS
Tem uma base forte e que se reforçou ainda mais com a chegada de Elano. Ganso volta e isso fará uma diferença enorme. Mas deve sempre perder Neymar e Ganso para a Seleção Brasileira ao longo da temporada, o que vai enfraquecer o time. A questão está em saber se Adílson Batista dará conta dessa molecada. Ele me parece um treinador sonolento, cheio de mistérios e também de dúvidas. Sua carreira ainda é pequena.

PORTUGUESA
Vamos continuar torcendo para a Lusa sair da Segundona. Este ano bateu na trave. Um pontinho só. Mas parece que o trabalho voltou aos trilhos no Canindé, o que já é meio caminho andado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.