465 brasileiros tentam fazer história no Rio: alguns já são orgulho nacional

465 brasileiros tentam fazer história no Rio: alguns já são orgulho nacional

10 competidores do País que enchem o torcedor de esperança. Há muito mais

Robson Morelli

28 de julho de 2016 | 11h29

O Brasil nunca teve um time tão gordo para disputar uma Olimpíada como os 465 atletas credenciados para o Rio-2016. O fato de sediar os Jogos dá ao anfitrião o desafio de ter representante em todas as modalidades. A bandeira brasileira, carregada por um dos três atletas selecionados pelo COB e que foram submetidos à escolha popular pela internet (Robert Scheidt, Serginho e Yane Marques), será a última a tremular no Maracanã no dia da cerimônia, 5 de agosto, como manda a tradição.

ZeRobertoVoleiDivulgacao570

Essa legião de brasileiros, além de brigar por medalhas (o grande objetivo da disputa) e superar desafios, expressão bonita e que representa bem a história de vida de muitos deles, tem a missão de deixar o legado mais importante da Olimpíada, que nada tem a ver com obras, vias ou construções, mas sim com o despertar da paixão nas crianças de praticar uma dessas modalidades, do tênis ao atletismo, passando pelos nobres vôlei e natação, até chegar em modalidades menos conhecidas ou reverenciadas, como esgrima, canoagem ou tiro com arco. Se em cada família desse ‘Brasilzão’ ao menos um criança se interessar por um dos esportes olímpicos, o Rio-2016 já terá cumprido sua missão de deixar legado, de plantar uma sementinha do esporte.

Ocorre que sempre foi muito complicado tratar de outros esportes no País do Futebol, um pouco pela cultura popular, muito pela falta de outras atividades dentro das escolas e, portanto, fora do currículo disciplinar e muito também pelo abandono dos clubes e entidades governamentais.

Mesmo assim, o Brasil tem muito do que se orgulhar. Esse timaço de 465 atletas encabeça a lista. Parece lugar-comum, mas já são todos vencedores, porque sabemos como é duro superar um ciclo olímpico para chegar numa Olimpíada. Formiga, do futebol feminino, por exemplo, vai para a sua sexta participação. É ou não é um orgulho brasileiro? Há outros, sem dúvida. Faço questão de listar alguns com o terrível temor de cometer injustiças.

1 – Bernardinho
2 – Leandrinho
3 – Fabiana Murer
4 – Zé Roberto Guimarães
5 – Escadinha (Serginho)
6 – Robert Scheitd
7 – Thiago Pereira
8 – Arthur Zanetti
9 – Neymar
10 – Marcelo Melo

Tudo o que sabemos sobre:

rio-2016; olimpíada;

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.