A Copa de 2014 já tem data: anote aí na sua agenda

Robson Morelli

27 de julho de 2011 | 13h55

A Fifa oficializou a data da Copa do Mundo: de 12 de junho a 13 de julho. A competição começa numa quinta-feira, provavelmente em São Paulo – o Itaquerão ainda não foi garantido como o estádio de abertura do evento. Mas deve ser. A Fifa também definiu nesta querta-feira a data da Copa das Confederações: de 15 a 30 de junho. A Copa das Confederações reúne 8 seleções numa espécie de mini-mundial para testar as instalações do país-sede.

                                 COPA DO MUNDO NO BRASIL

                                 Início: 12 de junho – o Brasil, por ser o país-sede, tem o direito de fazer a primeira partida.

                                 Encerramento (Grande Final): 13 de julho – o País vai parar. Se a Seleção estiver em campo, melhor. 

É claro que as críticas ao trabalho de Mano Menezes e ao fraco futebol de alguns dos nossos jogadores até agora vão acabar quando a competição começar. A festa que o povo brasileiro geralmente faz no período de Copa será multiplicada por 10, por 100, tamanho é o envolvimento do torcedor com o esporte mais popular do planeta.

E se a Seleção estiver na grande final, teremos de torcer para que apenas um adversário não esteja do outro lado do campo. Claro. O URUGUAI. Seria demais ter de enfrentar os uruguaios como fizemos em 1950. E olha que eles estão mandando no futebol, ao menos sul-americano, no momento. Foram quarto colocados na Copa da África do Sul e campeão da Copa América. Todos, menos o Uruguai, para quem perdemos o Mundial de 50 no Maracanã.

                             TORCEDOR

Duro vai ser deixar fora dos estádios tantos torcedores apaixonados. As novas Arenas terão capacidade de 50/60 mil lugares. Pouco para um País tão interessado como é o nosso por futebol. Fico imaginando os milhares de torcedores que gostariam de ver uma partida da Copa e não terão como conseguir isso. Os ingressos são limitados, assim como os lugares.

O Brasil fez uma coisa muito bonita na Copa da África do Sul quando resolveu treinar em Soweto, o bairro mais pobre de Johannesburgo e palco de sangrentas batalhas entre brancos e negros. Foi ali que nasceu a resistência ao regime do aparthaid. Estava lá e aquele foi um dia que jamais me esquecerei. Foi a melhor coisa que a Seleção de Dunga fez. As pessoas não se aguentavam de tamanha alegria em ver o Brasil e seus jogadores. Foi lindo.

Em 2014, espero que iniciativas como aquele em Soweto se repitam nos rincões do Brasil.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.