A decisão de Ronaldinho: ficar na Europa ou voltar

Robson Morelli

16 de julho de 2010 | 14h35

Ronaldinho GauchoRonaldinho Gaúcho ainda não definiu seu futuro
(Foto: AFP)

O Milan diz que não abre mão de Ronaldinho Gaúcho, mas o jogador começa a resgatar sua vida no Brasil, em rodas de samba com amigos, no futevôlei de praia, na reverência que o torcedor lhe presta. O meia, que já foi craque um dia, se divide em continuar na Itália (ou arranjar uma transferência para outro país europeu) e voltar para o Brasil. A diferença é enorme para a carreira de Ronaldinho nesse momento. Se ficar na Europa, ele terá de continuar sua luta para convencer a todos que não acabou. Se voltar, mesmo fora do peso hoje, já chega como rei em qualquer equipe. Mas não terá o glamour de disputar uma  Copa dos Campeões e se ver envolvido em duelos com os principais jogadores do mundo. Robinho fez o caminho inverso e se diz feliz, satisfeito, com prazer de jogar futebol. A carreira de Gaúcho se arrasta desde 2006. E já se foram quatro anos. É preciso ter coragem para recomeçar, humildemente, se isso for possível. Dinheiro não deve ser mais problema para ele. O que Ronaldinho tem de objetivar (detesto essa palavra) é o seu futebol. Nada mais. Sua decisão será tomada nas próximas semanas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.