A PM vai tratar o clássico como uma final

Robson Morelli

28 de agosto de 2009 | 10h14

O 2º Batalhão de Choque de São Paulo se reuniu na manhã de hoje, sexta-feira, para traçar o plano de segurança para o clássico de domingo entre São Paulo e Palmeiras. O efetivo ainda não foi divulgado. Deve ficar perto dos 500 homens. Dada a importância do duelo, com os dois times na ponta da tabela, a PM acredita num público grande, casa cheia. Foram colocados à venda 64 mil ingressos. As bilheterias domingo fecharão ao meio dia. Embora as torcidas estejam quietas, o clássico é de risco. Assim ele será tratado. Até um helicóptero da PM será usado. Historicamente os confrontos em jogos desse quilate têm ocorrido na parte de fora do estádio. A PM recomenda que os torcedores ganhem seus lugares no Morumbi o mais rápido possível. Estações de Metrô e terminais de ônibus também serão vigiados. Os líderes das torcidas deram suas palavras de que não ocorrerá briga. Da minha parte não dá mais para confiar. O Choque estará atento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.