A redução da pena de Dudu é uma afronta ao torcedor brasileiro

De 180 dias de punição por bater no árbitro no Paulistão, atacante do Palmeiras tem gancho reduzido para seis partidas, sendo que duas já foram pagas

Robson Morelli

09 de setembro de 2015 | 10h23

Foi uma vergonha generalizada todo o processo do julgamento de Dudu, do Palmeiras. Além de a decisão se arrastar da final do Paulistão até a 23ª rodada do Brasileiro, o Tribunal de Justiça Desportivo decidiu pela redução da pena de 180 dias do atacante para a suspensão de seis jogos, dois deles já cumpridos, portanto, faltando quatro. Houve um acordo, seja lá o que isso significa. Essa é a informação do Palmeiras. Dudu partiu para ‘as vias de fato’ com o árbitro Guilherme Ceretta Lima na final do Estadual com o Santos depois de ser expulso. Deu um chega pra lá no juiz pelas costas. Além do ato em si, ressalta-se a covardia de agredir por trás.

DuduCesar GrecoDivulgacao_570

Houve grita de todos os lados. Como um jogador podia fazer isso em campo, prejudicando seu time? O Tribunal não hesitou em aplicar ao jogador 180 dias de afastamento. Seis meses. Era uma punição exemplar. Deveria ser. O mundo está tão louco que não descarto que um dia um jogador brasileiro vai meter a mão na cara de um juiz ou mesmo de um treinador rival, ou até do seu time. Na época, o Tribunal achou a mesma coisa. A punição então era necessária, ainda mais nesse momento tão desacreditado da arbitragem nacional.

O Palmeiras não entendeu dessa forma e tratou de costurar uma liminar para que Dudu participasse das partidas, como ocorreu até o clássico com o Corinthians, domingo passado. A atitude do clube resgatava as viradas de mesa e decisões de gabinete dos anos 80 e 90 do futebol. Todo mundo fazia isso. Mas esse expediente tinha acabado. Imaginava-se. Existia um caminho da moralidade que talvez tenha começado com os pontos corridos, em 2003. Existia. A resolução do caso Dudu abre brecha para todos tentarem ‘salvar’ seus jogadores de agora em diante. Há outros casos, mas o de Dudu é exemplar às avessas. Duvido que nas partidas agudas deste Brasileirão, nas últimas rodadas, algum clube aceite perder jogadores importantes por punição. O efeito suspensivo vai correr solto. Todos vão querer ser Dudu.

O jogador do Palmeiras pagará sua pena de quatro jogos que faltam nas próximas rodadas do campeonato, contra Figueirense, Fluminense, Grêmio e São Paulo. E fim de papo. O futebol brasileiro não muda. Nem as pessoas que são envolvidas com ele. Uma pena.

Tudo o que sabemos sobre:

Palmeiras; dudu; futebol

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.