A verdadeira chance de Rubinho

Robson Morelli

14 de setembro de 2009 | 17h17

Talvez pela primeira vez em sua carreira, Rubinho tem a chance de ser campeão do mundo de Fórmula 1. Quando estava nas outras equipes, corria para completar a prova, não importava em qual posição. Quando esteve na Ferrari, andava para ser o fiel escudeiro de Schumacher. Jamais ganharia um campeonato. Agora, na Brawn GP, pilota por sua conta: para ser campeão. Uma ironia se for pensar que até pouco antes de começar a temporada, ele era um piloto desempregado, sem esperança e aguardando na poltrona de casa uma ligação de alguém para lhe dar emprego. 14 pontos separam Rubinho do primeiro colocado, seu companheiro de equipe, Jenson Button.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.