Abel Ferreira vira capa de revista no Brasil, mostra um lado mais leve sem perder a seriedade do trabalho no Palmeiras

Abel Ferreira vira capa de revista no Brasil, mostra um lado mais leve sem perder a seriedade do trabalho no Palmeiras

Na edição da revista CQ, ele se mostra diferente do que o torcedor geralmente vê à beira do gramado e leva mais tranquilidade e sorriso para o futebol

Robson Morelli

13 de abril de 2021 | 12h20

Abel Ferreira tem sido tratado talvez como nunca foi em sua carreira no futebol. A mais recente do português foi virar capa de revista, numa situação longe do uniforme do Palmeiras. É jovem, 42 anos, e ganhador: Libertadores e Copa do Brasil de 2020. Então, está tirando proveito do seu trabalho. Nada de errado nisso. Provavelmente, fez as fotos em dias de folga, quando estava com a família em Portugal.

Divulgação: GQ

É legal se mostrar para o torcedor. Um treinador de carne e osso, que se diverte, tem família, se emociona… O Brasil carecia de treinadores assim, quase sempre todos carrancudos com as cobranças, longe da imprensa e, consequentemente, do torcedor. Tomara ele consiga espalhar esse jeito para outros colegas.

Ganhar ou perder é do jogo. Abel Ferreira entende isso. Sabe que há vida fora do futebol, o que não o faz melhor nem pior, o faz apenas um profissional como qualquer outro. Abel tem seus defeitos, tem sido muito crítico da arbitragem, como escrevi no post anterior sobre o Palmeiras, sabe que a temporada 2021 zera tudo no futebol brasileiro, mas sabe também que precisa desfrutar do que faz e do país onde mora.

Isso é diferente. O futebol está muito acostumado com profissionais que não “precisam” dar satisfação a ninguém nem atender ninguém, tampouco sorrir. Abel Ferreira não é único nessa retomada de perfil. Há outros neste caminho, em outros cargos, alguns presidentes, alguns atletas também. Essa turma precisa ‘contaminar’ outros e fazer o futebol um lugar mais tranquilo e divertido.

Tudo o que sabemos sobre:

futebolpalmeirasAbel Ferreira

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.