Ansiedade para ver Rivaldo e Ronaldinho em ação

Robson Morelli

23 de janeiro de 2011 | 18h48

Com Rivaldo no São Paulo e Ronaldinho Gaúcho no Flamengo, o futebol brasileiro resgata a tradição do camisa 10, que havia se perdido por conta de jogadores ruins No caso de Rivaldo, pena que ele volta em fim de carreira. Quando um grande clube contrata um atleta que já brilhou por aqui e fez história na Europa, todos fazem a maior expectativa de que ele jogue o mesmo que jogava quando foi embora. Na maioria das vezes isso não acontece. Foi assim com Ronaldo e com Adriano. Rivaldo e Ronaldinho provocam esse mesmo sentimento.

Rivaldo poderia ter assinado com o Palmeiras. Mas ao que parece, Felipão não o quis. Ou talvez não tinha dinheiro suficiente no clube para pagá-lo. Foi no Palmeiras que Rivaldo brilhou e poderia ter sido no Palmeiras que ele encerraria sua carreira. 

Ronaldinho desperta mais interesse. E no torcedor do Brasil todo. Estive em Belo Horizonte no fim de semana para o casamento do amigo Renato (que casamento!) e todos com quem falei estão ansiosos para ver o Gaúcho em ação. Refiro-me a torcedores do Galo e do Cruzeiro. “Quando ele vir jogar aqui em Minas, vou levar meus filhos para ver”, me disse um dos mineiros com quem conversei. “Acho que o Luxemburgo vai deixá-lo livre no meio, como fez quando treinou o Alex no Cruzeiro.” É uma opção.

Acredito que o torcedor de norte a sul do País queira ver Ronaldinho em campo. Não agora exatamente, masquendo ele estiver um pouco mais entrosado. Gostamos de bons jogadores. Só espero que ambos respondam positivamente à toda essa ansiedade do torcedor.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.