Brasileiros têm caminho duro na Libertadores

Brasileiros têm caminho duro na Libertadores

Semana é decisiva e tropeços nesta rodada pode decretar fim de linha na primeira fase

Robson Morelli

15 de março de 2016 | 10h34

Os clubes brasileiros não está seguros na Libertadores e a semana promete ser decisiva na tabela. Como na rodada anterior ninguém ganhou, qualquer tropeço nos jogos de quarte e quinta, e no de hoje do Grêmio contra o San Lorenzo, o time do papa Francisco, pode custar uma eliminação precoce na competição. Camisa não ganha mais jogo nas Américas e se há algum ‘bobo’ no torneio, talvez seja o time que não se prepara e corre em campo. A tradicional força brasileira e argentina ainda pesa, mas somente antes de a bola rolar. Nos 90 minutos, não há nesta edição times muito mais superiores que outros. A disputa é igual e acirrada. Vejamos!

No Grupo 1, o outrora campeão São Paulo pisa em ovos e não pode mais perder pontos dentro de casa, em hipótese alguma, e precisa roubar pontos dos rivais na casa deles. Todos na chave têm 2 partidas. Mas o São Paulo ocupa a terceira colocação, com apenas 1 ponto – empate diante do River Plate na Argentina. A surpresa é o The Strongest na ponta, com 6 pontos – duas vitórias, uma delas diante do Tricolor. O River é segundo com 4 pontos. Apenas dois vão se classificar. O fiel da balança no grupo é justamente om próximo rival do São Paulo, o venezuelano  Trujillanos. O time do Morumbi tem de somar 6 pontos contra o rival. Um empate ou derrota nesta quarta deixará a equipe de Bauza em situação delicada. O São Paulo tem de ganhar, pular para 4 pontos e deixar que River e The Strongest se matem. Se o time boliviano ganhar na altitude de La Paz, soma 9 pontos e aí deixa a briga da segunda vaga entre River e São Paulo.

No Grupo 2, o Palmeiras tem situação um pouco mais confortável porque é segundo, com 4 pontos, atrás do Nacional, que tem 5, e é o rival de quinta. Ganhando na casa do adversário, assume a ponta e rouba ponto fora de casa, uma condição importante na Libertadores. O Rosario Central também tem 4 pontos e fica de olho na briga entre os dois primeiros. Cuca tem de somar pontos, o empate ajuda desde que o Rosario não ganhe do River do Uruguai, o que é pouco provável. Daí a necessidade de ir bem na quinta, até porque o Palmeiras perdeu em casa para o Nacional, resultado que custou a cabeça de Marcelo Oliveira. Da mesma forma, um tropeço poderá empurrar o time para baixo na tabela e praticamente confirmar a vaga do Nacional. Cada time faz seis partidas dentro do chave. O Palmeiras vai para sua quarta.

No Grupo 5, o Atlético-MG lidera com 7 pontos e tem 3 de diferença para o terceiro colocado, o Independiente dell Valle. O Colo Colo soma 5 pontos. Após 3 partidas, o peruano Melgar não somou ponto.

O Grêmio joga nesta terça contra o San Lorenzo, fora de casa, precisando ganhar e apresentar uma atuação convincente, daquelas que faz o tim