Camisa azul do Palmeiras foi usada porque estava no contrato com a patrocinadora

Camisa azul do Palmeiras foi usada porque estava no contrato com a patrocinadora

Clube deveria ao menos participar e impedir descaracterização do uniforme

Robson Morelli

15 de março de 2019 | 10h54

Volto ao tema da camisa azul do Palmeiras usada na partida contra o Melgar pela Libertadores porque houve muita chiadeira dos torcedores. O Allianz Parque estava de verde e branco e a equipe de azul “São Bento”. Todos sabem que a camisa foi uma homenagem ao goleiro Marcos, ao uniforme que ele usou na conquista da competição em 1999. Portanto, merecida. Felipão explicou que o Palmeiras só usou aquele uniforme porque estava no contrato com a patrocinadora de material esportivo. Quando assinou o acordo com a Puma, a empresa solicitou a confecção de uma camisa diferente. Mais ou menos isso, segundo deu a entender do treinador. Para vender, claro. Fazer um outro produto e colocar no mercado. No contrato, a obrigatoriedade era realizar apenas um jogo na Libertadores com uma camisa promocional. Se as partes assinaram, elas têm de cumprir. Não haverá outro jogo do Palmeiras vestido de azul.

O único senão nesta história foi a escolha das cores. Puma e Palmeiras poderiam ter optado por tonalidades diferentes do verde, pelo branco e verde, fazer uma camisa de design moderno com outros riscos… O torcedor é fiel às cores do clube, seja ele palmeirense ou de outra equipe. Na Europa, isso funciona melhor, essa troca de cores, quero dizer. No Brasil, não. Descaracteriza. Certo ou errado, a maioria dos torcedores pensa desta forma. O Palmeiras e os outros clubes deveriam levar isso em consideração. Por exemplo, o Santos já jogou de amarelo. Amarelo? Sim. O Corinthians já se vestiu de roxo. E assim vai.

Mais conteúdo sobre:

futebolpalmeiras