Com a debandada na comissão de Tite, CBF vai precisar definir substitutos. Mas quem?

Com a debandada na comissão de Tite, CBF vai precisar definir substitutos. Mas quem?

Edu Gaspar vai embora para o Arsenal... Sylvinho já foi. Há buracos na comissão técnica de Tite para a sequência do trabalho

Robson Morelli

26 de junho de 2019 | 11h27

Mudanças… O presidente da CBF vai precisa tomar algumas decisões assim que acabar a Copa América, com o Brasil campeão ou não a competição. Edu Gaspar vai deixar o grupo para trabalhar no Arsenal, onde foi referência quando jogador. O coordenador de seleções não precisará pagar multa de R$ 8 milhões, conforme informou o próprio presidente da entidade. Sylvinho, que era ajudante de Tite, também já foi embora tentar carreira solo fora do País.

Bom nome… Juninho Paulista é um cara que já está na CBF fazendo um outro tipo de trabalho, muito mais importante, arrumar o calendário do futebol brasileiro, mas sua convocação não está descartada. Caboclo tomará a decisão em breve, pensando, claro, na sequência do trabalho visando as Eliminatórias e a Copa do Mundo do Catar.

Trabalho no calendário… O trabalho de Juninho na CBF é deixar os clubes do Brasil em atividade durante toda a temporada. Há muitos times em atividade somente durante os Estaduais nos primeiros meses do ano. Depois, sem calendário e dinheiro, eles desaparecem e deixam um rastro pelo caminho, muitas vezes sem fundo para pagar suas dívidas, devendo para jogadores e sem qualquer perspectiva de voltar no ano seguinte. Muitos vivem de parcerias até com empresários que colocam seus atletas na vitrine nesses primeiros meses do ano. Quando dá certo, entra algum cascalho das rendas, patrocinadores e venda de jogador.

Melhorar a gestão… Essa última, venda de jogador, quando acontece, é de se soltar rojão. Digo isso sem levar em conta as falcatruas e más gestões de muitos clubes por aí, de dirigentes que só estão no ofício para tirar proveito pessoal. A CBF vai mexer com essa gente também. Quem não tiver suas situações mais bem definidas, transparentes e “honestas”, não terá vez nesse novo calendário que se propõe fazer.

Série C e D… O trabalho de Juninho Paulista visa, basicamente, desenhar um ano de atividade para times das Séries C e D, e ainda E, e até para outras divisões menores. A ideia é ter as séries mais baixas mais fortalecidas, de modo a criar competições mais interessantes. A Dazn, por exemplo, comprou os direitos de transmissão em streaming do Brasileiro da C. Há interesse por campeonatos menores desde que eles sejam organizados. Puxar Juninho para cuidar da seleção daria muito mais visibilidade para o profissional, mas nesse momento seria mais prudente ele seguir no desenho da reformulação do calendário do futebol brasileiro. Não é de hoje que ele, o calendário, é um problemão no País.

Tudo o que sabemos sobre:

futebolTitecbfJuninho Pauista

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.