Com surra em Renato Gaúcho, Mister leva o Flamengo para a final da Libertadores 2019

Grêmio apanha de 5 a 0 num Maracanã com 70 mil torcedores e fica pelo caminho na competição. Destaque do Fla, Gabigol e Bruno Henrique abrem caminho para a goleada

Robson Morelli

23 de outubro de 2019 | 23h29

O Grêmio bem que tentou, mas sempre soube das qualidades do Flamengo nesse momento da Libertadores e de sua participação na temporada. Sim, os comandados de Jorge Jesus formam um grupo novo, de jogadores que ainda mal se conhecem fora das quatro linhas, o oposto dos atletas de Renato Gaúcho, todos juntos há três anos. Ocorre que Renato não contava, ou se contava não mencionou, com o caminho mais curto para o entrosamento de jogadores de habilidade acima da média, como quase todos no rival do Rio.

Deu então a lógica, a lógica de quem joga um futebol mais bonito e eficiente. Talvez o futebol seja o único esporte de massa em que nem sempre o melhor leva. No Maracanã desta noite de quarta-feira, pintado de vermelho e preto, essa possibilidade não se confirmou. Não teve sequer alguma chance. O Flamengo fez jus à sua maior qualidade dentro de campo, com seus bons jogadores, e garantiu vaga na final da Libertadores. Ganhou de 5 a 0. Na somatória, 6 a 1. Uma surra em Renato Gaúcho como há muito não se via.

O Fla ficou com a bola o tempo todo. Brincou com ela sem nunca desrespeitar o rival de Porto Alegre. O Rio rubro-negro está em festa mesmo sem ter levado nada ainda. Cristo Redentor viu tudo de braços abertos, como Bruno Henrique e Gabigol após seus gols. O Flamengo sobrou. O time fará a grande final com o River Plate, atual campeão da Libertadores.

O Flamengo mostrou-se um time maduro, pronto para desafios maiores, com os melhores atletas fazendo o que sabem, sem medo, preparado para dar saltos mais altos na temporada. Em tempo recorde, ou por milagre, seu departamento médico também conseguiu colocar todos os machucados de pé. Há de se ressaltar essa façanha.

O Grêmio foi valente a ponto de fazer da partida um bom jogo, sem apelar. Incrédulo com o resultado e sem se entregar, como sua história o forjou. Mas não houve zebra e o Grêmio era uma zebra nesta semifinal. O futebol ainda é dos que jogam com a bola, dos mais corajosos, dos que buscam o gol acima de qualquer outra estratégia. Por isso a vaga do lado brasileiro para a final da Libertadores 2019 está em boas mãos. O Flamengo deu o último passo para uma importante e iminente conquista. Terá de mostrar quem manda na América. Se não for desta vez, será da próxima. Um ciclo se abre para esse Flamengo, muito mais do que um leve cheirinho de conquista.

Flamengo e River Plate são sim os dois melhores times do continente, indiscutivelmente. Não se credenciaram por acaso. Mereceram a vaga. Os dois times praticam o melhor futebol da Sul-Americana. Dia 23, em Santiago, no Chile, será fogo contra fogo. Gallardo conta Mister. Brasil versus Argentina. Em confronto único, sem margens para erro ou recuperação. O ganhador será o novo dono da América. Merecidamente.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.