Como o Corinthians pode ganhar do São Paulo no confronto deste domingo em Itaquera

Há um tabu de 12 partidas dentro da casa alvinegra, desde que ela foi erguida, e alguns caminhos para segurar o líder do Brasileirão

Robson Morelli

11 de dezembro de 2020 | 10h13

São 20 pontos que separam os rivais São Paulo e Corinthians na tabela do Brasileirão. 20 pontos não dá nem para olhar o de trás pelo retrovisor. O time do Morumbi lidera a competição com 50 pontos, enquanto o alvinegro soma 30. Pelo que ambos vêm mostrando em campo, não há muitos motivos para acreditar que o Corinthians tenha forças para superar o São Paulo na Neo Química Arena neste domingo. O visitante perdeu duas vezes no torneio em 24 rodadas, joga o fino da bola e vem esbanjando confiança. A equipe de Mancini perdeu 8 vezes. Mais se defende do que ataca. No primeiro turno, deu São Paulo 2 a 1.

Mancini deve estar quebrando a cabeça para entender como parar o São Paulo. Há caminhos. Sempre há, e quando duas bandeiras gigantes se confrontam, tudo pode acontecer. O lugar-comum é muito válido nos clássicos. Particularmente, acredito que o time em melhor fase naquele momento, tem mais chances de ganhar. Mas o São Paulo nunca bateu o Corinthians em sua casa. São seis anos de tabu, 12 partidas, com nove derrotas e três empates.

Numa preleção hipotética, Mancini poderia primeiramente tentar parar o rival. Reinaldo não pode ter liberdade pela esquerda. Luan ou Otero deveria incomodar por ali, de modo a ‘prender’ o lateral no seu campo. Reinaldo no ataque cria oportunidades. Ramiro tem de colar em Luciano. Cão de guarda mesmo, como fazia Ralf em épocas remotas. Se Luciano for beber água, Ramiro vai junto. Há um problema de fôlego no elenco corintiano. O time abre o bico no segundo tempo. Se isso ocorrer diante do São Paulo, vai tomar gols.

Luan e Cazares e Otero precisam marcar alguém. Não devem se matar correndo atrás dos meninos do São Paulo, mas têm de fazer frente às investidas de Sara, Hernanes, Paulinho Boia, se jogar, ou de qualquer outro no meio de campo. E ali que o São Paulo começa a se impor. Gil, e quem mais puder ajudar, deve ficar atento a Brenner. Fagner pode ser essa cara também. Na corrida, vai perder todas. Tem de usar sua experiência. No caso de Fagner, o Corinthians perde boa saída de bola. Mancini terá de colocar os prós e contra dessa possibilidade.

Daniel Alves tem jogado bem. Igor Gomes tem boas arrancadas. Tudo vai depender do que pensa Fernando Diniz na formação.

‘Anulado’ o rival, o Corinthians precisa jogar. Esse tem sido a maior dificuldade do elenco. Não há pegada nem força para atacar ou pressionar o visitante. Matheus Davó é um menino em crescimento. Otero e Cazares não se provaram ainda. Luan é o mesmo desde que chegou. Cantillo começou bem, mas caiu de produção. Virou um jogador comum, desses que a várzea tem aos montes. Ou seja, o desafio é grande para esse Corinthians dentro de sua própria casa. Há um tabu a se apegar e muita história em campo.

Veja a provável formação do Corinthians

Cássio
Fagner
Bruno Méndez (Jemerson)
Gil
Fábio Santos
Gabriel
Cantillo
Luan (Cazares)
Otero
Ramiro
Matheus Davó

Tudo o que sabemos sobre:

futebolCorinthiansSão Paulo FCbrasileirao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.