De agora em diante, grandes do futebol serão colocados à prova em jogos decisivos

Tirando o Campeonato Brasileiro, que começa dia 13 de maio, tudo agora vai ser mata-mata. Sai aquela calmaria para chegar o mar revolto no futebol brasileiro

Robson Morelli

08 de abril de 2017 | 13h39

Invadimos abril e deixamos para trás o período de partidas mornas no futebol brasileiro, quase sempre útil apenas para os treinadores conhecerem seus elencos, como eles próprios gostam de dizer em cada entrevista que jogam mal. Agora é tudo ou nada, quase sempre com jogos de ida e volta, exceto no Campeonato Brasileiro, que começa dia 13 de maio. Os Estaduais entram em sua fase de ‘perdeu está fora’. Em São Paulo, o Palmeiras foi o primeiro a cumprir meta de se classificar para a semifinal, despachando o Novorizontino. Espera agora por seus adversários até, quem sabe, desembocar na final – o que seria a primeira desse elenco cantado em verso e prosa desde o começo da temporada, com dinheiro gordo e empolgação da torcida, além da troca de treinador (Cuca por Eduardo Baptista).

VilaBelmiroDivulgacao_570

As decisões acontecem em outras praças também. Rio, Minas, Paraná, Porto Alegre, Bahia, Pernambuco… Tudo agora vale alguma coisa. Os grandes do Brasil entram ainda na disputa mais aguda da Copa do Brasil, por exemplo. Nesta semana, o São Paulo, de Rogério Ceni, vai encarar o Cruzeiro, de Mano Menezes. É clássico brasileiro. É jogo sem previsão na somatória das duas partidas. Afinal, quem ousaria apostar todas as suas fichas em uma dessas bandeiras? Imagino que o primeiro confronto vai encaminhar a classificação.

Da mesma forma, Corinthians e Inter se encontram na Copa do Brasil, e só um vai passar, o que quer dizer que já em abril um dos grandes ficará pelo caminho numa competição que vale muito – tem taça importante, paga bem e há as rendas dos jogos em casa e ainda dá passe para a Libertadores de 2018. Quem vai bem na Copa do Brasil salva o ano se não for rebaixado no Brasileirão. Digo isso porque o Palmeiras cometeu o erro de ganhar a Copa do Brasil e cair no Nacional em 2012.

O corintiano que não se engane em achar que vai encarar um time de Segunda Divisão. O Inter vai disputar a Série B deste ano, mas tem uma bandeira fortíssima, e bom elenco, apesar dos tropeços nesse início de temporada, um ganha e perde danado. É jogo aberto, imagino.

Há ainda os times envolvidos com a Libertadores, e não são poucos. Os brasileiros vão para a terceira rodada da competição sul-americana com a certeza, vinda das duas primeiras, que são fortíssimos na disputa, mas que não podem vacilar com o risco de perder terreno dentro do grupo. A fase ainda é a de chave, e vai continuar assim por algum tempo. O fato é que aquele período de águas calmas vai acabar nesta semana e, daqui pra frente, é mar revolto no futebol brasileiro. Que bom!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.