De repente, Alexandre Pato entra na mira de Palmeiras, Santos e São Paulo

Atacante não esquenta lugar em time e está sempre com a cabeça longe, pelo menos foi assim em sua última passagem pelo Brasil

Robson Morelli

19 de fevereiro de 2019 | 16h59

Alexandre Pato é a bola da vez nos principais clubes de São Paulo. Santos, São Paulo e Palmeiras estão interessados em ter o atacante nesta temporada. Do nada, Pato aparece como opção para ajudar um desses três times, todos gigantes do futebol brasileiro. Na manifestação feita por torcedores do São Paulo em frente ao CT da Barra Funda nesta semana, além de pedirem a cabeça do presidente Leco, cobrarem mais pulso de Raí e mais empenho de Diego Souza e Nenê, pediram a contratação de Pato. O presidente do Santos, José Peres, disse monitorar a situação do atacante na China, mesma situação do Palmeiras, que monitora todo mundo.

Pato está no Tianjin Quanjian desde 2017. Usa a camisa 10. Até agora, fez 60 partidas pelo time e marcou 36 gols. Numa temporada cheia no futebol brasileiro, qualquer equipe da primeira divisão faz, em média, 70 jogos. Pato fez bem menos do que isso. Hernanes voltou da China para o São Paulo e ainda sofre com a falta de fôlego. Pior. Voltou fraco fisicamente, descompensado. Se Pato chegasse hoje ao Brasil, para vestir a camisa de qualquer um desses times citados, ele precisaria de pelo menos dois meses para voltar a “correr certo”. Ou mais. Há portanto, um investimento de dinheiro e tempo.

Pato, infelizmente, pelo que já fez no Brasil, não é um jogador confiável. Digo isso em relação ao seu envolvimento com os clubes por onde passou. Pode ter mudado. Pato sempre teve a fama de ter a cabeça longe dos vestiários onde estava. A Europa sempre foi seu interesse, em alguns casos pela vida que levava lá. Pato é um cidadão do mundo, como imaginávamos que Kaká seria e foi. Ocorre que Pato nunca se firmou em equipe alguma. O Milan foi quem mais apostou nele e onde ele pôde mostrar mais trabalho. Era uma época em que o atacante se machucava muito. Pato é um desses jogadores que nunca estouraram como se esperava dele. Tenho dúvidas se poderia ajudar Santos, Palmeiras ou São Paulo, embora o nível do futebol nacional esteja bem baixo. Penso que sua fase já ficou para trás, mesmo ao 29 anos. Mas posso, e devo, estar errado. Afinal, todos andam falando em Pato.

Tendências: