Disputa no Corinthians pode polarizar entre Roque Citadini e Andrés Sanches

Roberto de Andrade entrega o cargo em fevereiro

Robson Morelli

26 de setembro de 2017 | 10h20

Com o técnico Fábio Carille acertado para mais duas temporadas e na iminência de confirmar o título do Campeonato Brasileiro, além do Paulistão deste mesmo ano, as eleições no Corinthians, marcadas para fevereiro, podem ficar entre dois ilustres conhecidos do torcedor do Parque São Jorge. De um lado, Antonio Roque Citadini, que já foi diretor de futebol nos tempos da Hicks Muse, e do outro Andrés Sanchez, ex-presidente e homem responsável pela construção e gestão da Arena Corinthians. Embora hoje haja outros nomes no páreo, os acordos costurados dentro do clube caminham para essa composição de pleito.

Corinthians campeão paulista de 2017. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

Roberto de Andrade, que entregará o cargo em breve, já redesenha o Corinthians para a próxima temporada. O planejamento que se faz agora terá de ser usado pelo, em partes, novo presidente, quer queira ou não. Alguns contratos de jogadores serão renovados e outros interrompidos. A base do time de Carille deve ser mantida, mas com perdas importantes, como uma possível transferência de Arana para a Europa, além de Balbuena. Walter também poderá deixar o clube para voo solo. Jô tem três ofertas e terá de se decidir por uma delas ou se fica.

Tudo o que sabemos sobre:

Corinthiansfutebol

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.