Dois brasileiros, Philippe Coutinho e Lucas Moura, e duas histórias nas semifinais da Liga dos Campeões

Dois brasileiros, Philippe Coutinho e Lucas Moura, e duas histórias nas semifinais da Liga dos Campeões

O meia do Barcelona foi vaiado, ganhou nota 'zero' da mídia, enquanto o ex-são-paulino tirou '10' do conceituado jornal L'Equipe

Robson Morelli

09 de maio de 2019 | 12h41

As semifinais da Liga dos Campeões provocou um frisson generalizado no mundo do futebol da maneira em que os jogos aconteceram e como os finalistas obtiveram suas vagas. O Liverpool atropelou o Barcelona, de Messi, por 4 a 0 depois de perder o jogo de ida no Campou Nou por 3 a 0. Operou o primeiro milagre da etapa. O Tottenham não deixou por menos. Perdeu por 1 a 0 para o Ajax em sua casa e depois virou um marcador de 2 a 0 para o time holandês na segunda partida (3 a 2) e garantiu passagem para a grande final, que será em Madri.

Essas duas partidas marcaram para sempre também a história de dois jogadores brasileiros. Philippe Coutinho e Lucas Moura. São histórias diferentes, com final oposto para cada um e que poderá ter consequências nas carreiras de ambos.

Coutinho foi vaiado pelos torcedores do Barcelona. Ganhou nota ‘zero’ do jornal espanhol Sport, que cobre bem o futebol da Espanha. Um exagero? Certamente. Coutinho foi um dos três melhores jogadores do Brasil na Copa do Mundo da Rússia, em 2018. Quando Neymar não funcionou, lá estava Coutinho para manter a esperança da torcida brasileira, que acabou na partida diante da Bélgica. Mas o meia brasileiro foi duramente condenado na mídia espanhola, chamado de “indolente” e apontado como um jogador que não “merecia permanecer no Barcelona. Todos os periódicos esportivos foram nessa mesma linha.  O AS chegou a afirmar que ele “decretou sua própria sentença de morte” no clube catalão.

Mesmo na vitória do Barcelona por 3 a 0 sobre o Liverpool na ida, Messi teve de intervir sobre as vaias que o brasileiro levou ao ser substituído em campo. Não seria demais, então, imaginar que Coutinho deixe o Barcelona com a marca de um jogador que não deu certo. De alma dilacerada. As janelas de transferência se abrem em breve. Ele próprio pode chegar a esta conclusão e pedir para deixar o clube. A derrota para o Liverpool fez marcas profundas no atleta do Brasil.

Mas se Coutinho ganhou ‘zero’ por sua atuação na semifinal, Lucas Moura viveu o oposto disso. O jornal francês L’Equipe deu nota 10 ao brasileiro do Tottenham, autor dos três gols que levaram a equipe inglesa a se classificar para a final da Liga dos Campeões. Lucas entrou, dessa forma, para o seleto grupo dos jogadores de futebol que já tiveram nota 10 do periódico em sua história. Dez apenas. Neymar e Messi (duas vezes) estão no mesmo grupo. Cristiano Ronaldo, não. Lucas admitiu ter feito o jogo de sua vida na casa do Ajax. Peito estufado, mas sem nunca abandonar o jeito humilde e a pinta (não é só pinta) de boa-praça que sempre carregou consigo, ele deixou o campo com a bola nos braços, eterna lembrança para quem marca três gols na Liga dos Campeões.

A principal competição da Europa deu sentimentos diferentes para dois jogadores brasileiros, de modo a poder mudar suas vidas a partir de então. Dia 17, Tite faz sua convocação para a seleção brasileira que disputará a Copa América no País a partir de 14 de junho. Coutinho só não estará na lista se ele pedir. Lucas, depois do que fez, deveria estar.

Tendências: