É impossível melhorar o futebol só na teoria e sem entrar em campo

Nem mesmo é possível sustentar o condicionamento físico treinando em casa, sozinho, sem correr os 12 quilômetros de uma partida e com sua intensidade

Robson Morelli

12 de abril de 2020 | 22h00

O futebol vai precisar de pelo menos um mês para colocar seus personagens em pé. Entenda-se em nível competitivo. Não dá para melhorar time nenhum só na teoria, sem entrar em campo e disputar os 90 minutos. A tática é importante, as orientações na tela também, mas nada se compara à bola nos pés, ao domínio, à inteligência das jogadas, ao cansaço do primeiro e segundo tempo e intensidade das disputas. Tudo isso só se adquire jogando.

Então, independentemente de quanto tempo o futebol brasileiro ficar parado, vai ser preciso recomeçar do zero. Já é preciso recomeçar do zero. Aqueles times que vimos em ação nos dois meses do ano e um pedacinho de março, não existem mais. Isso sem mencionar a parte mental, de concentração para o jogo. Foco no jogo. Ninguém está mais assim. Se distribuírem as camisas no próximo fim de semana, será um desastre. Os jogadores também não devem se expor a nada antes de retomarem com segurança a vida profissional. Precisam de tempo e devem cobrar tempo para voltar. Se isso não acontecer, podem até se machucar, sofrer lesões musculares ou algo parecido.

Portanto, quando o futebol tiver uma data, vai ser preciso dar ao menos três semanas para que todos se recuperem. Qualquer coisa diferentemente disso, é um erro, para não dizer covardia com os jogadores. A saudade da bola e das partidas é grande, estão todos famintos pelo futebol, mas é preciso ter o mínimo de preparação e organização para o retorno. Por quanto, não há data para a bola rolar.

Tudo o que sabemos sobre:

futebolcbfPaulistão; FPF;

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.