Em cinco meses efetivos de Roger Machado no Palmeiras, o time ainda não joga bem

Treinador não consegue fazer a equipe forte em campo, mesmo a despeito das classificações

Robson Morelli

29 de maio de 2018 | 13h39

Roger Machado não deve ser demitido no Palmeiras nem o Palmeiras pensa em trocar seu treinador em meio a uma temporada atípica com Copa do Mundo no meio dela. Mas é fato que o treinador não sabe como ajeitar o time, que faz algumas boas partidas, outras ruins e não inspira confiança. Alguns jogadores, como Felipe Melo, defendem a boa campanha do Palmeiras nas competições: classificado na Copa do Brasil, melhora pontuação na Libertadores e um dois primeiros no Campeonato Brasileiro.

Não faz parte dessa conta a derrota do Palmeiras em casa para o Corinthians no Paulistão. Ocorre que Roger Machado, por mais esforçado que seja, não vem dando conta do recado. Cinco meses é tempo suficiente para ter uma equipe nas mãos, jogando o fino da bola e sendo competitiva a ponto de poder sonhar. O Palmeiras se desmancha no ar. Os meios- campistas fazem rodízio e nenhum deles dá conta do recado. Roger espera por Moisés. Essa é a verdade.

Guerra e Lucas Lima não jogam bem, alternam bons e maus momentos. E o treinador não mostra alternativas, tampouco consegue recuperar dois de seus principais atletas. A diretoria observa o trabalho do treinador de longe. Parte dela no clube se divide entre ter um comandante da nova era e contratar alguém de mão mais pesada.

Os clubes também se encontram reféns dos treinadores porque não há profissional diferente no mercado. Os melhores estão empregados. Jair Ventura sofre no Santos. Roger sofre no Palmeiras. Loss, que chegou agora, começou mal no Corinthians. Zé Ricardo sofre no Vasco. Fernando Diniz sofre no Atlético-PR…

No caso de Roger Machado, ele também não conseguiu ainda montar uma forma de o Palmeiras jogar. A derrota para o Sport em casa expôs uma série de problemas desse elenco. Da sua fragilidade durante os 90 minutos ao lado emocional afetado pelas cobranças, pressão. Nem gol de pênalti o Palmeiras consegue fazer mais, como errou Keno no fim da partida.

Bater o Cruzeiro não será fácil, muito menos derrotar o São Paulo no Allianz no fim de semana.

Tudo o que sabemos sobre:

palmeirasfutebolRoger Machado

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.