Empresa de Neymar, entenda-se seu pai, analisa todos os caminhos para o jogador

Atacante esteve hoje no hotel da seleção brasileira para rever amigos e abraçar o técnico Tite: ele foi cortado por lesão

Robson Morelli

21 de junho de 2019 | 14h25

Sem destino… O que Neymar quer não é mais lei no futebol. Ele continua sendo o melhor jogador do Brasil em atividade, disparado dos demais, e ainda um dos dez melhores da Europa, sonho de grandes equipes que pensam em se fortalecer para ganhar títulos. Mas seu desejo já não é tão relevante como era antes de deixar o Santos, ou mesmo após a fama que ganhou ao lado de Messi e Suárez no Barcelona. Neymar é um  jogador que se machuca demais, aparentemente jogar futebol é apenas uma de suas atividades e ele não consegue deixar de se envolver em encrenca. Hoje, esteve no hotel da seleção em São Paulo para rever amigos e abraçar Tite.

EFE/Edu Bayer

Quero voltar… Ele teria dito a um dirigente do Barcelona que quer voltar ao clube catalão. Revelado pela imprensa espanhola seu desejo, ele arruma confusão no PSG, que moveu montanhas para tê-lo em suas fileiras. O presidente do clube parisiense se sentiu traído. E faz preço para que Neymar saia: R$ 1,3 bilhão – mais dinheiro do que pagou na compra.

Seu pai analisa caminhos… O fato é que Neymar está perdido na carreira. Não sabe mais o que quer. Seu pai analisa todos os caminhos para o futuro do filho. Ficar no PSG continua sendo um deles, mesmo que de castigo por mais uma temporada, afinal de contas ele tem contrato vigente. Voltar para o Barcelona implicaria redução de salário, recibo de fracasso, mas retomada da carreira. Há ainda problemas com o Fisco espanhol, na época um dos motivos alegados pelo seu estafe para deixar a Espanha. O Real Madrid também estaria interessado no jogador, e até disposto a pagar alto por ele. Zidane, que não o queria, pode se ver numa encruzilhada de elenco e se render ao seu talento.

Engolir sapos… Neymar, desta vez, terá de negociar muito bem. Seu pai terá de engolir alguns sapos, assim como o próprio jogador. Ele não tem mais o destino em suas mãos. 2019/20 aparece para o jogador como uma temporada para ele dar a volta por cima, independentemente de onde jogue, recuperar prestígio e confiança de gente que o acompanha. Mas pode também ser mais um ano “perdido”.

Processos… Ele ainda responde ao processo de estupro da modelo Najila Trindade e de outra ação paralela no Rio de Janeiro por ter mostrado na internet fotos da moça nua.

Tudo o que sabemos sobre:

futebolNeymarTiteCopa América 2019

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.