Falta achar o ponto a Muricy

Robson Morelli

17 de agosto de 2009 | 11h27

O que sobra ao São Paulo nesse momento do Brasileiro falta ao Palmeiras: fôlego e inteligência. O time do Morumbu começa a ganhar partidas na bacia da alma. Como diria o cronista, na última volta do ponteiro. O gol de Hugo na vitória por 2 a 1 sobre o Sport foi aos 48 minutos do segundo tempo após pressão na saída de bola. Pressionou porque acreditou que poderia vencer. Porque tinha pernas. Muricy, no Palmeiras, já reclamou do desgaste do fim de primeiro turno. Talvez provocado pelas partidas duras e decisivas na Libertadores. Jogou quarta e sábado. Foi bem no Mineirão, mas abriu o bico no Palestra. Ocorre que Muricy ainda não achou o ponto certo da equipe. O Palmeiras vai mal quando Diego Souza e Cleyton Xavier não correspondem ao que se espera deles. Faltam opções. Direita. Esquerda. Penetração. Chuveirinho. Tudo isso serve desde que dosado. O São Paulo que vem mordendo seus adversários tem feito isso, alternado os passos e os compassos. Ora pelo alto, ora pelo meio, ora na pressão, ora no contragolpe. Como diz Muricy é só trabalhar. É só trabalhar. O São Paulo tem 33 pontos e ocupa a quarta posição. Fez a sexta vitória seguida. O Palmeiras soma na liderança 37 pontos. Mas amarga o terceiro empate consecutivo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.