Felipão está enrolado até o pescoço com o Palmeiras, e feliz com a nova fase

Felipão está enrolado até o pescoço com o Palmeiras, e feliz com a nova fase

Treinar a Colômbia não seria ruim fosse em outra situação de sua carreira e comprometimento

Robson Morelli

05 Dezembro 2018 | 11h44

A Colômbia quer Felipão. O Palmeiras também. Não acredito que ele deixe o clube para encarar um novo ciclo de Copa do Mundo. O time colombiano vê no treinador a solução para um salto entre seus rivais sul-americanos. Mais do que isso. Vê em Felipão um comandante capaz de levar a Colômbia a voos mais altos no Catar, em 2022. É possível. O time colombiano é bom, com James Rodriguez e Cuadrado, por exemplo. Há outros. A seleção, muito provavelmente, vai se classificar para o próximo Mundial por meio das Eliminatórias. Então, o raciocínio da Federação Colombiana é válido.

 

Para Felipão, o futebol colombiano é muito parecido ao estilo brasileiro. O idioma não seria um entrave, tampouco as distâncias. Felipão não iria para o outro lado do mundo de novo. O dinheiro também é muito bom. José Pekérman ganhava R$ 5,2 milhões por ano no cargo. Mas talvez Felipão não trabalhe mais por dinheiro.

Assim, o Palmeiras torna-se também um projeto importante para ele. Felipão acabou se de ser campeão brasileiro e todos viram a gratidão e o respeito que o torcedor do time tem por ele. Sempre teve. Ele se reencontrou no Palmeiras. Está feliz no clube e tem projetos para 2019. Ganhar a Libertadores é o maior deles. Reformar e melhorar a estrutura da Academia também. Revelar jogadores de uma base que ganhou muito na temporada ainda faz parte do seu trabalho. Tudo isso ajudará o Palmeiras a ser mais relevante do que foi neste ano.

Ganhar a Libertadores depois de 20 temporadas da única conquista do clube na competição, também sob o seu comando, seria um feito e tanto. Histórico até. 20 anos depois, Felipão e o Palmeiras estariam na mesma situação. Depois viria o Mundial, que tantos falam que o Palmeiras não tem. Tem o de 1951, não nos formatos das disputas mais recentes. Felipão está de bem com seu trabalho, com o clube e com a torcida. Pensa até em abrir treinos para o torcedor, como fazia em 1999 em algumas ocasiões. Acompanhei isso como repórter. Só faz isso porque entende haver uma comunhão das partes no Palmeiras.

Fez questão de não tomar partido nas eleições do clube, mas a permanência de Galiotte lhe dá mais segurança. Já tem o respeito de todos, e a promessa de melhorar o que já é bom. Então, não vejo motivos para Felipão deixar o Palmeiras em 2019. E não vai.

Mais conteúdo sobre:

futebolpalmeirasFelipão