Torcida do São Paulo promete pressionar Fernando Diniz e toda a cúpula do clube neste sábado no CT

Eliminação na Libertadores, partidas ruins e receio de cair na Copa do Brasil diante do Fortaleza motivam os seguidores na investida

Robson Morelli

02 de outubro de 2020 | 12h00

Parte da torcida do São Paulo pretende protestar na manhã deste sábado em frente ao Centro de Treinamento da Barra Funda, onde o time fará seu último treino antes da partida contra o Coritiba, na retomada do Brasileirão, fora de casa. A manifestação dos torcedores tem foco no fracasso do time na Libertadores. O São Paulo não conseguiu sua classificação para a próxima fase. Por enquanto é o único brasileiro sem obter a vaga – falta o Internacional ainda.

Fernando Diniz é o mais pressionado. O treinador não consegue fazer o elenco render. Tem 1 ano no cargo e o time não agrada, não tem padrão, não tem jogadores de confiança, nem os mais experientes, de quem se esperava mais. Daniel Alves, Hernanes, Reinaldo são alvos de críticas. Nem o diretor de futebol Raí será poupado. Ídolo do clube, ele também sofre pressão e tem o cargo pedido por parte dos seguidores. O presidente Leco, que se recupera de covid-19, também será criticado.

O São Paulo caiu precocemente no Paulistão e Libertadores. Isso tem muito peso no trabalho de Diniz. O torcedor não quer esperar pelas eleições no fim da temporada. Tem agora a Copa do Brasil, diante do Fortaleza, de Rogério Ceni, que também será em sistema mata-mata. A torcida vai pressionar por mudanças antes disso. Os jogos serão no fim deste mês e começo de novembro. Não está descartada a permanência de Diniz no cargo. Nem a de Raí. Leco deixará o comando no fim do seu mandato.

O clube deve pedir reforço policial para que a manifestação ocorra de forma pacífica e do lado de fora do CT. Em outras ocasiões, o local foi tomado de assalto por torcedores, assustando jogadores e membros da comissão técnica. Equipamentos de treino também sumiram naquela invasão. No Brasileirão, o São Paulo vai bem. É terceiro colocado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.