Fico com Neymar: foi uma aula do Barcelona

Robson Morelli

18 de dezembro de 2011 | 12h23

A conclusão é de um dos melhores jogadores do mundo: Neymar. “O Barcelona nos deu uma aula de como jogar futebol.” Ponto. Reconhecer o fato foi o que de melhor o jogador do Santos fez contra o Barcelona. O tamanho da goleada (4 a 0) já fala por si só. Mas o que ocorreu no Estádio de Yokohama foi o confronto de dois estilos diferentes, de duas escolas distintas, de uma equipe madura em todos os sentidos e de uma em formação.

Não só Neymar e os jogadores do Santos devem tirar lição do que aconteceu no Japão. O futebol brasileiro precisa aprender com o Barcelona também. Os dirigentes brasileiros precisam acreditar mais em seus profissionais, como nos técnicos. Qualquer time do Brasil pode jogar como o Barcelona. Basta treinar e ter uma filosofia de jogo – claro, recheada de bons jogadores.

Bons jogadores aqui tem também. Ocorre que técnico nenhum trabalha com uma filosofia porque sabe que se não ganhar vai ser mandado embora. O mesmo acontece com os clubes. O único verbo que os cartolas conhecem é vencer.  Vencer a qualquer custo.

O Barcelona, que todos nós agora reverenciamos, joga dessa mesma maneira há 30 anos. Valoriza o toque de bola, aposta nas bases, começa a formar jogador nas categorias inferiores sabendo que um dia vai usar o menino no time principal. No Brasil se trabalha o almoço para faturar o jantar.

O Santos perdeu porque não jogou nada. É verdade. Mas também por ser refém do futebol brasileiro da atualidade. Que sirva a lição.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: