Futebol brasileiro lava a alma na rodada da Libertadores, com 15 gols, vitórias e goleadas

Futebol brasileiro lava a alma na rodada da Libertadores, com 15 gols, vitórias e goleadas

Palmeiras, Flamengo, Inter e Atlético-MG vencem suas partidas da segunda rodada com show de seus atacantes; só o Santos perde para o Boca na Argentina

Robson Morelli

28 de abril de 2021 | 09h04

Fazia tempo que os times do Brasil não somavam juntos tantos gols numa mesma rodada da Copa Libertadores. Foram 15, com goleadas, vitórias e boas apresentações dos mandantes, o que carimba o País mais uma vez como favorito ao título da competição, repetindo a edição de 2020, vencida pelo Palmeiras, e 2019, pelo Flamengo.

Foto: Agência Palmeiras

Foi o time rubro-negro quem abriu o caminho para uma noite encantada. Sem muito esforço, a turma de Arrascaeta levou a equipe carioca à sua segunda vitória seguida nas duas partidas iniciais. O Flamengo ganhou de 4 a 1, com boa apresentação também de Gabigol, autor de dois gols, e um pintura de gol de Pedro. O Fla lidera seu grupo com seis pontos.

Quem contribuiu ainda para os 15 gols brasileiros na rodada foi o Palmeiras. Com seus principais jogadores, o time fez 5 a 0 no Del Valle, um rival que já complicou a vida de muitos brasileiros na competição, mas que esteve longe de seus melhores momentos. Foi o time equatoriano que despachou o Grêmio e provocou a demissão de Renato Gaúcho, antes sem emprego. Rony marcou duas vezes. Luiz Adriano teve boa apresentação, pagando seu débito com a torcida nesta temporada. Abel Ferreira voltou a escalar Patrick de Paula no meio de campo. Deu tudo certo.

Até o Atlético-MG venceu na rodada da competição sul-americana. O time de Minas estava com dificuldades para se ajeitar em campo, as cobranças eram intensas e Cuca parecia perdido. Ganhou do América de Cali por 2 a 1 e agora respira um pouco mais aliviado na Libertadores. Outro brasileiro que brilhou na jornada foi o Internacional: 4 a 0 no Táchira. Vale ressaltar que todos jogaram em casa.

O Santos foi o único que se deu mal na noite. Pudera. Perdeu seu treinador Ariel Holan na véspera da partida em La Bombonera, contra o Boca Juniors: amargou derrota por 2 a 0. Poderia ter sido de mais. A derrota complica a classificação do time na disputa de vaga, ainda com zero ponto em duas partidas. O Santos é lanterna da sua chave, que tem o Boca no comando e o Barcelona, do Equador, na segunda posição.

Se o torcedor brasileiro quiser aumentar sua conta de gols na rodada do futebol, pode acrescentar na soma o cinco gols do Bahia diante do Guabirá por 5 a 0, em jogo válido pela Sul-Americana.

Mas qual o segredo? Mais treinamentos, poupar jogadores dos jogos malucos a cada 48 horas, encontrar padrão de jogo e apostar nos atletas certos, além de não perder o foco e buscar o gol até o minuto final. O último do Palmeiras foi marcado aos 35 do segundo tempo. O Inter fez o seu aos 30. Pedro, no Flamengo, deixou sua marca aos 39.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.