Corinthians e DIS armam a arapuca para o Santos

Corinthians e DIS armam a arapuca para o Santos

Robson Morelli

29 de abril de 2011 | 15h02

Ganso, DIS e Santos começarão em breve uma queda de braço para definir o destino do meia depois da Libertadores da América. Até lá é certo que o jogador fica na Vila. A situação é a seguinte: Ganso está pronto para jogar na Europa. E quer. Ele tem 10% do seu contrato. A DIS, dona de outros 45%, não vê a hora de fechar o negócio e triplicar o dinheiro em milhões investido no menino. O Santos rema contra a maré. O clube também tem 45% dos direitos do atleta e voz ativa na discussão. Insiste na permanência no meia. Nesse tripé, o jogo está 2 a 1.

Por conta da discussão toda, a situação de Ganso na cidade começa a ser insuportável. A cada esquina de Santos ele encontra um torcedor cobrando sua permanência. Não consegue dar um passo sem ser incomodado.

A DIS negocia com os italianos do Milan. Só não consegue convencer o presidente santista da venda agora. A empresa está disposta até a pagar a multa do jogador (preço Brasil) e recolocá-lo em algum clube daqui mesmo até o fim do ano ou até junho de 2012, conforme informou Luís Augusto Monaco no JT. É aí que entra o Corinthians.

A DIS repassaria Ganso para o Parque São Jorge até fechar com o Milan de vez. Em prestações, como o clube da Itália precisa para não estourar suas contas. Ganso começa a se manifestar sobre isso. Antes ele dizia que ficaria na Vila. Agora, comenta que pode sair para outro clube do País. Luís Álvaro, presidente do Santos, acredita piamente, ou ingenuamente, que Andres Sanches não aceitaria o Ganso da DIS. Andres garante estar fora da briga desde que não haja nenhum outro clube brasileiro na parada. Se tiver um time para onde Ganso possa ir no Brasil, aí Andres também o quer. Apareceu então o Inter. Está armada a arapuca.

Essa discussão vai esquentar o futebol nas próximas semanas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.