Globo nunca abandonou o desejo de retomar o mata-mata no futebol brasileiro

Caminhos das partidas eliminatórias começa a ser repensado como solução para dar mais emoção aos jogos

Robson Morelli

08 de agosto de 2014 | 13h36

A Globo já pensa em trabalhar pela volta do sistema de mata-mata no futebol brasileiro. Desde 2003, a CBF aposta no turno e returno dos pontos corridos na disputa do Campeonato Brasileiro, competição que trata com maior carinho e ingerência por ela tomar a maior parte do calendário nacional. O Brasileirão é o mais interessante torneio do País. Mas a Globo nunca desistiu de voltar ao sistema de jogos eliminatórios, o famoso mata-mata em duas partidas, que algumas vezes, claro, provoca revolta no torecdor porque nesse tipo de competição nem sempre previlegia o melhor.

São as injustiças do futebol. Mas quem disse que o futebol é justo? Por ser um jogo, como diz o lugar-comum, tudo pode acontecer.

O Globo aceitava o sistema de pontos corridos porque ele ainda lhe servia. Nesse sistema, a emoção só acontece na parte final das temporadas. Mas a emissora, que tem os direitos de transmissão dos jogos, nunca concordou totalmente com o método da disputa. Sempre foi defensora do mata-mata, que também leva mais torcedores aos estádios. Esse perdeu-caiu é tudo o que ela sempre quis. Entende que, dessa forma, as partidas têm mais emoção e são decisivas. Todas elas. Não se arrastam em 38 rodadas, por exemplo. Haveria uma fase classificatória e depois jogos eliminatórios.

Tudo isso com o único objetivo de conseguir audiência, e com ela os anunciantes, e mais dinheiro e prestígio, e jogos melhores e mais público nos estádios.

Participei certa vez de uma reunião em que nos foi pedido pelos diritores máximos da emissora para que defendéssemos o sistema de mata-mata em detrimento dos pontos corridos. Erámos todos funcionários das Organizações Globo. A reunião não obteve sucesso. E o assunto morreu. Ou foi para a gaveta para ser retomado em momento oportuno, como agora, em que os times se arrastam em campo, precisam de dinheiro e a audiência anda caindo dada a qualidade dos futebol jogado.

Para tanto, terá de convencer a CBF. Arrumar briga com parte da imprensa. Convencer o torcedor de que esse é o melhor caminho. Leva tempo. Para 2015, acho que não dá mais. Afinal, a CBF já divulgou o calendário do futebol deste ano, embora, nesse momento, tudo esteja na mesa para ser discutido.

Tudo o que sabemos sobre:

Globo; brasileirão; cbf

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.