Jair Ventura é melhor do que Osmar Loss, mas não o suficiente para resgatar o Corinthians

Treinador, ex-Santos e Botafogo, foi chamado um dia depois da demissão do titular, que na verdade vai permanecer no clube

Robson Morelli

06 Setembro 2018 | 18h41

Jair Ventura é um bom treinador. Melhor do que Osmar Loss. Mais experiente também porque passou pelo Botafogo, sua casa, e pelo Santos. Na Vila Belmiro, no entanto, não deu conta de fazer o time jogar bem. Parou na tecla do “precisamos de reforços” e não conseguiu dar outro tom. Mais errou do que acertou, até levar o time para posições dentro da zona de rebaixamento. No Botafogo, tinha mais controle da situação. Ficou mais tempo por lá.

Ocorre que Jair Ventura não é um daqueles treinadores que chegam para apagar o incêndio e dar novos rumos ao time, como fez, por exemplo, Cuca no próprio Santos e Felipão no Palmeiras. Ou como faria Abel Braga, Muricy Ramalho, que não é mais treinador (agora ele ocupa a função de comentarista de TV) e Vanderlei Luxemburgo. Jair é bom, mas não o suficiente para resgatar esse Corinthians, que carece de jogador. Vai pedir reforços mesmo em setembro. Será que ele vai olhar para a temporada ou trabalhar pensando em 2019? O Corinthians tem a Copa do Brasil e um caminho duro no Campeonato Brasileiro.

Tenho dúvidas se a torcida corintiana gostou da contratação de Jair Ventura, filho de Jairzinho, o Furacão da Copa de 70.  É fato que o torcedor não queria mais Loss. Sua saída foi até festejada. Fazia tempo que não via isso.

Mas há um senão nessa contratação. O presidente Andrés Sanchez tem sido duro em suas negociações. Governa com mão de ferro. Ele tem preferências e não abre mão delas. Em sua primeira gestão no Corinthians, por exemplo, prometeu e cumpriu que não jogaria no Morumbi de Juvenal Juvêncio, mesmo se para isso o clube alvinegro tivesse de bancar e gastar mais. Penso que o presidente tem o dever de fazer o melhor para o clube e não para ele próprio ou pensando em suas preferências. Tomara que Jair Ventura se enquadre nisso, tomara que a diretoria do Corinthians tenha olhado para ele e visto a solução de seus problemas de campo. Torça para que ele não tenha sido opções secundárias de qualidade porque o presidente não se dá bem com esse ou aquele treinador que poderia ser melhor para o time nesse momento.