Mais uma da FPF: torcida ‘única’.

Robson Morelli

26 de abril de 2011 | 09h40

Um absurdo a decisão da Federação Paulista de Futebol de excluir as torcidas de Corinthians e Santos das semifinais do Estadual, escondida num pedido do Ministério Público para coibir qualquer tipo de violência. Não sou contra o modelo usado na Argentina de fazer clássicos com torcida única, no caso River Plater e Boca Juniors, desde que haja duas partidas, ida e volta. Nesse caso do Paulista, não há.

Como a FPF bolou, e os clubes aceitaram, um regulamento ridículo, sobrou para o torcedor, que acompanhou seu clube em 19 rodadas, a maioria sem graça, e agora na hora do jogo bom ele ficará fora, ou confinado a um espaço que não dignifica seu tamanho e sua alegria de torcer. O corintiano ocupará o setor lilás do Pacaembu, destinado a 2 mil pessoas. É como se ficasse com o porão de sua própria casa.

Não seria estranho se a Gaviões e todas as outras torcidas corintianas organizassem uma manifestação na porta da FPF, daquelas de parar o trânsito e apontar os culpados por tal desmando no futebol.

Não sou um defensor das torcidas organizadas. Longe disso. Se pudesse, dissolveria todas elas porque são todas iguais e um mal para o futebol dentro e fora do campo. Claro, por um único motivo: elas não dialogam com os rivais. Elas matam os rivais. Falo isso com conhecimento de causa. Já participei como convidado do 2º Batalhão de Choque da PM de muitas tentativas de paz entre as facções dos clubes paulistas. E nenhuma deu certo. Sempre acaba morrendo um ou outro, numa briga de um contra dezenas. E no final todos correm covardes que são.

Então, que fique claro que não sou pró-torcida organizada. Sou pelo torcedor comum, aquele que gostaria de levar seu filho e família para uma boa diversão no Pacaembu. Se for corintiano, não poderá. Não haverá ingresso, porque sabemos também que a carga das 2 mil entradas vai direto para as Uniformizadas.

Ou o corintiano abandona as vestimentas e entra na fila dos palmeirenses e assim se comporta durante os 90 minutos para não morrer, podendo festejar caso o Corinthians ganhe somente quando estiver bem longe do estádio, talvez em casa apenas, ou ele terá de ver a partida pela TV.

O fato é que impediram o torcedor do Corinthians e do Santos de torcer no Pacaembu numa semifinal de campeonato em jogo único. E isso é um absurdo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.