Mesmo com retomada da covid-19 em SP, não há perspectiva de hospital de campanha no Pacaembu e Ibirapuera

Mesmo com retomada da covid-19 em SP, não há perspectiva de hospital de campanha no Pacaembu e Ibirapuera

O estádio vai fechar seus portões para obras previstas de acabar em 2023 e o Complexo Esportivo do Ibirapuera será entregue à iniciativa privada em concessão

Robson Morelli

07 de dezembro de 2020 | 11h33

Os hospitais de campanha foram iniciativas para oferecer ao público uma condição maior de leitos para pacientes com covid-19. Alguns funcionaram bem, outros nem tanto, outros ainda nem saíram do papel. Com a retomada da doença em São Paulo (alguns preferem dizer 2ª onda) e seu avanço no número de contaminação e óbitos, no entanto, não há perspectiva de reerguer os hospitais em formato de tendas em lugares como Pacaembu e Complexo Esportivo do Ibirapuera, onde muitos paulistas foram atendidos e vidas foram salvas.

O Pacaembu está em reforma após passar para a iniciativa privada por concessão de 35 anos. Os portões do estádio municipal estão prestes a se fechar definitivamente até 2023, quando deve terminar sua repaginação. Da mesma forma, o complexo do Ibirapuera vive condição semelhante, quando o local será entregue para iniciativas particulares por tempo determinado. Todo o complexo será redesenhado, com shopping e arena multiúso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.