Sobrevivente do voo da Chapecoense, Henzel morre jogando futebol. Dá para acreditar?

Sobrevivente do voo da Chapecoense, Henzel morre jogando futebol. Dá para acreditar?

Jornalista tinha 45 anos e sofreu um infarto jogando bola

Robson Morelli

27 de março de 2019 | 11h48

Rafael Henzel morreu ontem aos 45 anos jogando futebol, uma de suas paixões. Sofreu um infarto e morreu. Para mim, Henzel era uma das provas de um milagre. Ele sobreviveu à queda do avião da Chapecoense que vitimou 71 pessoas, entre tripulantes, o time de futebol, sua diretoria e alguns convidados e jornalistas que viajavam com o clube para a cobertura, muitos amigos nossos do dia a dia. Henzel sobreviveu a isso e toda vez que falava do episódio dizia que os colegas naquela avião estavam bem, morreram sem saber que iriam morrer, felizes por estarem fazendo mais uma partida importante de decisão de campeonato. A Chape disputaria a final da Sul-Americana com o Atlético da Colômbia.

Heizel escreveu um livro sobre a vida, sobre a fé, sobre nunca desistir. Tocava a vida como a vida havia lhe tocado após aquele acidente trágico. Participava com frequência dos eventos do ocorrido, mas nunca numa posição de coitadinho. Não queria isso. Queria viver, simples assim. E havia conseguido isso dentre todos aqueles amigos que morreram no acidente. Era um sujeito com seus problemas, como qualquer um de cidade pequena.

O fato é que ele tinha de viver para nos fazer repensar sobre a vida todos os dias. Henzel era nosso milagre. Um deles. Me parece uma bobagem sem tamanho o cara sobreviver de um acidente de avião e morrer jogando futebol. É difícil até de acreditar. Teve gente que duvidou da informação ontem à noite. O Brasil chora pela segunda vez a morte de um dos passageiros do acidente da Chapecoense. Um dia muito triste, o mais triste do ano.

Tudo o que sabemos sobre:

futebolChapecoenseRafael Henzel

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: