Muda o regulamento, presidente!

Robson Morelli

18 de abril de 2011 | 09h40

Esqueçam tudo o que vocês viram até aqui no Campeonato Paulista. Não importa se o seu time chegou capengando ou voando na competição (não teve nenhum time paulista voando nesse primeiro 1/3 de temporada). Os oito finalistas depois de suadas e arrastadas 19 rodadas têm agora 90 minutos para avançar.

As decisões nas quartas de final são em jogo único, como determinou a FPF, diga-se, apoiada pelos clubes da série A-1. Um horror. O São Paulo, por exemplo, que acabou a fase classificatória em primeiro lugar, pode perder a vaga para a Portuguesa, que conseguiu seu posto na bacia das almas, aos 44 minutos do segundo tempo com gol salvador. Um pênalti mal dado, um dia de pouca inspiração, uma arbitragem comprometedora e todo o trabalho das 19 (e arrastadas, repito) rodadas vai para a lata do lixo, para onde deveria ir esse regulamento do Paulistão. Não dá mais, presidente Marco Polo Del Nero! Muda isso ou o senhor vai ficar sozinho no Estadual.

Os cruzamentos, como todo mundo já sabia lá atrás, facilitam a vida dos grandes. Veja:

São Paulo x Portuguesa
Palmeiras x Mirassol
Corinthians x Oeste
Santos x Ponte Preta

O São Paulo, por fazer um ‘clássico’ da capital, pode ter alguma dificuldade. Escrevi clássico com aspas porque a Lusa não tem time há muito tempo para enfrentar em condições de igualdade os grandes da cidade. Já teve. Não tem mais. Espero que reescreva isso em sua história. A classificação, que não vinha desde 1999, pode dar ao clube o empurrão que ele tanto precisava para voltar a figurar entre os importantes do futebol brasileiro.

O Santos enfrenta uma das equipes mais tradicionais do Estado, a Ponte Preta. Já foi melhor também, assim como a Portuguesa. Tenta sobreviver. O Peixe vai ter trabalho, mas se conseguir anular todas aquelas situações de zebras que mencionei, passa com sobras. É claro que Muricy vai dizer que não é nada disso, que a Ponte vai oferecer resistência e tudo mais. Está na dele. Precisava falar dessa maneira para não deixar que seu elenco entre de salto alto.

Carpegiani previu que um dos grandes vai cair. Acho pouco provável, embora, pela campanha que fizeram, deveriam ter o direito de fazer dois jogos para conseguir a classificação. Muda o regulamento, presidente!

Tenho certeza também que o público, minguado até agora (o torcedor não é bobo e guardou seu rico dinheirinho para gastar agora, nos jogos mais empolgantes), vai reaparecer. Torcedor gosta de decisão e sempre está disposto a apoiar seu time.

Por fim, amigo, é preciso ficar de olho na arbitragem, sempre disposta a aparecer em momentos cruciais. Espero que ela não interfira, como se diz, para jogar pá de cal nesse campeonato que nasceu morto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.