Neymar está mais uma vez na contramão em relação à torcida do PSG, como agora sobre sua saída ou permanência no clube

Na série Neymar: O Caos Perfeito, da Netflix, atacante se mostra contrário com algumas das decisões tomadas por seu pai; ele disse que quer ficar no Paris porque tem mais três anos de contrato

Robson Morelli

26 de maio de 2022 | 09h59

Quando todos querem que ele fique, Neymar inventa de deixar os dirigentes apreensivos com uma possível transferência. Quando todos querem que ele saia, o jogador se agarra ao contrato e diz que permanece até o fim do acordo. Neymar tem andado na contramão dos desejos dos torcedores do PSG nas últimas temporadas, não se sabe se faz isso para chamar a atenção ou porque, realmente, não entende o que acontece ao seu redor. Na série Neymar: O Caos Perfeito, da Netflix, ele mostra não concordar com seu pai com alguns caminhos de sua carreira. O pai administra tudo. O documentário se propõe ser verdadeiro, mas não se sabe ao certo quanto de ficção há na produção.

O fato é que Neymar vive mais uma turbulência neste fim de temporada e não se sabe ao certo o que pode acontecer com seu contrato e onde ele pode aparecer para jogar em 2022/23. No momento, está de férias. A situação é a seguinte: Neymar tem contrato com o PSG por mais três temporadas, portanto, há vínculo e multa rescisória a ser pega em caso de rompimento. A torcida do Paris não o quer mais por lá, após o fracasso de seu ano e do time na Liga dos Campeões.

Foto: PSG

A permanência de Mbappé só faz aumentar a crise do atacante brasileiro com o clube. O craque da seleção francesa passa a ser mais bem tratado no vestiário e isso terá de ser percebido e entendido por todos no elenco. A torcida entende que o PSG não precisa mais de Neymar. Na contramão do que sempre foi, ele precisa do time francês. “Por enquanto não me chegou aos ouvidos (sobre uma possível saída). Da minha parte, eu quero ficar”, confirmou o jogador em entrevista a uma rádio francesa.

Há ainda a condição de o PSG fazer mais uma reformulação no futebol, com a provável saída do diretor brasileiro Leonardo e a troca de alguns jogadores. O argentino Di María já se despediu. Outros também vão deixar Paris antes do começo da próxima temporada.

SAIR DE CENA

O cenário não é o melhor para Neymar em Paris. Talvez seja o mais “pesado” para o jogador da seleção brasileira desde que ele foi comprado por 222 milhões de euros, na negociação mais cara do futebol mundial, em 2017. O presidente do PSG ainda não veio a público para bancar seus jogadores. A torcida já deu sua opinião. Recentemente, dirigentes do Barcelona foram taxativos ao afirmar que não querem mais o jogador no clube, não pelo talento, mas pelos valores envolvidos. O futebol inglês seria um caminho natural. Há muito dinheiro na Inglaterra. Seria uma espécie de último alto para o atacante de 30 anos, que pensa em jogar sua última Copa do Mundo no Catar. Neymar prepara sua saída de cena.

Ele não tem perfil de que vai jogar até a última gota de sangue. Vai parar antes de perder sua habilidade e condicionamento físico. O prazer, segundo ele, ainda existe em correr atrás da bola. Mas é fato que cada vez mais ele se dedica a outras atividades profissionais, negócios ao redor do mundo, vendendo sua imagem e marca. Há muitos compromissos e contratos.

Permanecendo em Paris, ele terá de reconquistar a torcida, que já não é mais a mesma desde sua apresentação quando veio do Barcelona. Seu carisma é baixo entre os seguidores do clube, seu rendimento foi ruim neste ano e o brasileiro foi responsabilizado em grande parte pelo fracasso do time na Europa, apesar de festejar a taça da Liga Nacional. Por ora, Neymar se apega ao seu contrato. Mas é muito difícil ficar onde não é bem quisto.

SALÁRIO
A imprensa francesa revelou o salário dos jogadores do PSG e de alguns outros clubes do futebol francês recentemente. Neymar aparece no topo da lista. Na renegociação de Mbappé com o time de Paris, esses números devem ter mudado. O craque confirmou sua permanência no PSG semana passada. A relação é de março. Confira:

  1. Neymar (PSG) – 4,08 milhões
  2. Messi (PSG) – 3,37 milhões
  3. Mbappé (PSG) 2,2 milhões
  4. Marquinhos (PSG) – 1,2 milhão
  5. Verratti (PSG) – 1,2 milhão
  6. Hakimi (PSG) – 1,08 milhão
  7. Keylor Navas (PSG) – 1 milhão
  8. Di María (PSG) – 950 mil
  9. Wijnaldum (PSG) – 916 mil
  10. Donnarumma (PSG) – 916 mil
  11. Icardi (PSG) – 800 mil
  12. Sergio Ramos (PSG) – 791 mil
  13. Paredes (PSG) – 750 mil
  14. Bernat (PSG) – 730 mil
  15. Ben Yedder (Monaco) – 650 mil
  16. Ander Herrera (PSG) – 650 mil
  17. Kimpembe (PSG) – 640 mil
  18. Fàbregas (Monaco) – 600 mil
  19. Draxler (PSG) – 562 mil
  20. Kurzawa (PSG) – 500 mil
  21. Gueye (PSG) – 500 mil
  22. Diallo (PSG) – 450 mil
  23. Bakambu (Olympique de Marselha) – 416 mil
  24. Kehrer (PSG) – 410 mil
  25. Milik (Olympique de Marselha) – 400 mil
  26. Nübel (Monaco) – 400 mil
  27. Ndombelé (Lyon) – 350 mil
  28. Boateng (Lyon) – 350 mil
  29. Payet (Olympique de Marselha) – 350 mil
  30. Renato Sanches (Lille) – 338 mil

Tudo o que sabemos sobre:

futebolNeymarPSG

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.