Neymar sobra diante dos ‘meninos’ Sub-20

Robson Morelli

18 de janeiro de 2011 | 10h53

É gigantesca a diferença de Neymar para seus marcadores no Sul-Americano Sub-20 do Peru, que vale vaga para os Jogos Olímpicos de Londres em 2012. Ele sobra diante dos marcadores, pensa mais rápido, encontra saídas que somente sua habilidade permite.

Contra o Paraguai, na estreia, depois de se apresentar aos peruanos com jogadas a lá Garrincha, três adversários passaram a se revezar em sua marcação, às vezes os três juntos iam ao encontro do brasileiro, que apanhou barbaridade também. A Seleçãozinha ganhou de 4 a 2, com os quatro gols do jogador do Santos.

Sem dúvida ele vai ser o destaque desta competição. Mas o chato aqui vai fazer duas ressalvas: Neymar precisa ver um pouco mais os companheiros, principalmente o centroavante de área, e pensar um pouco mais em toques rápidos. É claro que isso é mero capricho, somente para vê-lo perfeito em campo. Os passes demorados em nada diminuem sua apresentação contra os paraguaios. Sei que às vezes pego no pé de Neymar, mas porque o vejo muito melhor dentro de campo do que fora dele. E já vi, acreditem, muitos jogadores bons de bola se perderem pelo caminho da fama, da exibição, do exagero e da falta de uma base. Não gostaria de vê-lo por esse caminho.  

O garoto precisa também estar preparado para as botinadas, porque elas virão. Seus dribles, muitos deles desnecessários, irritam os rivais, os fazem perder a cabeça.

O volante Casemiro, do São Paulo, também fez uma boa partida. Os brasileiros são habilidosos e têm talento. A defesa, por ser a estreia, mostrou certo nervosismo. Deu chutões demais. A velocidade com que todos esses garotos jogam faz desse recurso uma necessidade, é verdade. Mas dava para fazer com mais tranquilidade, acredito.

O Sul-Americano vale duas vagas para Londres. E com Neymar inspirado, uma dessas vagas caminha para ser brasileira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.