Neymar volta a jogar futebol nesta sexta pela seleção: ele tem sido um desperdício de craque

Brasil enfrenta a Colômbia nos EUA no 1º amistoso após a conquista da Copa América. Franceses do PSG estarão de olho no atacante

Robson Morelli

06 de setembro de 2019 | 10h15

Três meses depois… A última partida de Neymar foi contra o Catar, em amistoso de preparação para a Copa América. Faz tempo. O Brasil foi campeão da competição. Era começo de junho. De lá para cá, o atacante brasileiro “abandonou” o futebol e se viu envolvido em uma série de confusões.

Só confusão… Ele se machucou neste amistoso contra o Catar. Foi acusado de estupro (caso arquivado). Forçou a barra para deixar o PSG. Desde então, não chutou uma bola sequer em caráter profissional. O Campeonato Francês vai para sua quinta rodada neste fim de semana e Neymar ainda não estreou na temporada.

Expectativa pela volta… Tudo isso gerou uma grande expectativa sobre sua volta. Ele retorna nesta sexta-feira, defendendo a seleção brasileira em amistoso contra a Colômbia. Tite não abriu mão de seu principal jogador, mesmo ganhando a Copa América sem ele e ele não jogando na França. O treinador tem escolhido as palavras para se referir ao atacante. Veja onde assistir ao jogo desta sexta-feira do Brasil.

Tudo pode acontecer… Neymar, por sua vez, não mudou muita coisa de sua vida. Continuou se divertindo e postando nas redes sociais. Tudo envolve dinheiro. Há contratos para todos os lados. Há muita ansiedade também de todas as partes para esse retorno. Neymar é capaz de tudo e estão todos precavidos com o que pode acontecer.

A partida nos EUA marca o retorno de um jogador bom de bola que precisa se recolocar entre os melhores do mundo, achar seu caminho. Neymar tem sido um desperdício de craque. Esse é o desafio das pessoas que cuidam de sua carreira, dos dirigentes do PSG e do próprio Tite. Resgatá-lo.

Para salvar a carreira… Messi e Cristiano Ronaldo, por algumas temporadas, certamente viram no brasileiro um sucessor de seus talentos, mas hoje ambos continuam a encantar o mundo enquanto Neymar se perde na profissão. Messi e CR7 foram mais uma vez indicados entre os três melhores do mundo. Neymar nem apareceu entre os dez. Ficou para trás nesta corrida. A partir de hoje, há uma comunhão para salvar sua carreira aos 27 anos. Só espero que ele entenda isso e ajude também.

Tudo o que sabemos sobre:

futebolNeymarcbfPSG

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.