O espírito da Libertadores

Robson Morelli

24 de fevereiro de 2010 | 10h41

Hoje é dia de estreia corintiana na Libertadores. Escrevo aqui o que disse outro dia na rádio Globo: ‘é preciso ter paciência nesta competição. Os adversários correm e marcam o tempo todo. O corintiano não deve esperar jogos fáceis nem mesmo contra o mais fraco dos adversários, como é o Racing do Uruguai’. Vi ontem o segundo tempo de Inter e Emelec. Que jogaço. Travado, corrido, duro, de jogadas ríspidas e até violentas em alguns casos. O time brasileiro inteiro no ataque. O rival se defendendo. Chuva forte no Beira-Rio. Nenhum dos lados desistia. Até que o Inter virou para 2 a 1 e ganhou o jogo no finalzinho. Espero que Mano Menezes e seus jogadores tenham visto também esta partida. Se viram, certamente pegarão o espírito da Libertadores, para essa estreia e para toda a competição. Por isso, não arrisco palmites no Pacaembu hoje.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.