O medo de Rogério Ceni

Robson Morelli

15 de agosto de 2009 | 11h08

Todas as informações vindas do centro de treinamento do São Paulo dão conta da boa recuperação do goleiro Rogério Ceni. A fratura no tornozelo do pé esquerdo ficou para trás. Ele já trabalha normalmente na Barra Funda e diz não sentir dores no local. Ocorre que lesões dessa natureza, com boa dose de dramaticidade e muitas semanas de fisioterapia, provocam no atleta um receio natural de recomeçar. Ceni precisa ter confiança novamente. E não há médico no clube ou membro da comissão técnica capaz de decidir por ele. Por isso também o atleta vai adiando sua reestreia. Talvez aconteça na quarta, no Morumbi, contra o Flu. Talvez não. Ele precisa ter certeza. Psicologicamente, retornar dói tanto quanto a própria contusão. Enquanto não sentir que está pronto, é melhor esperar um pouco mais. O São Paulo precisa dele. O torcedor quer fazer festa para seu capitão. Mas tudo deve acontecer na hora certa. Rogério sabe disso.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.