O “novo futebol” vai esperar a produção de uma vacina para a covid-19, mas pode manter regras

Jogadores vão amadurecer com a pandemia e gestores terão de ser mais profissionais em seus respectivos clubes

Robson Morelli

10 de junho de 2020 | 12h00

O futebol brasileiro vai voltar bem diferente e não somente com o vazio nos estádios, sem público. Regras novas estão sendo feitas e conversadas, como informa Ciro Campos no portal do Estadão nesta quarta-feira. O documento a que ele teve acesso não deveria ser divulgado nesse momento, de acordo com a CBF, mas já estava aprovado. Vai valer a partir da retomada do futebol. Na verdade, já vale para os Estado brasileiros que avançaram nos treinamentos. O futebol segurou no limite, até onde pôde. São mais de 80 dias parado, com jogadores de férias e sem rotina, alguns com rotinas em casa, cada um do seu jeito. A partir de agora, quando todos voltarem, o que deve ocorrer na segunda-feira, após o feriadão, os protocolos vão ser padronizados.

Muitos deles dizem respeito à pandemia, cuidados para que ninguém seja contaminado dentro de campo, apesar dos testes regulares que farão. Quem estiver com o vírus vai ser afastado. Cada um vai se virar por conta própria, um avanço para os atletas brasileiras que costumam ser tratados como Filhos de Faraó. Nunca fazem nada por conta própria e todos têm de fazer por eles. Há muita preocupação agora. Então, os cuidados serão redobrados.

As novas regras trazem:
1 – Não cuspir no chão – hábito entre os jogadores, a cusparada está vetada.
2 – Cortar as unhas regularmente.
3 – Não comer em bufês. As refeições devem ser individuais.
4 – Não tomar banho no vestiário. É recomendado que os banhos sejam tomados em suas casas.
5 – Os atletas devem vir trocados para os treinos.
6 – Vão cheirar cravo e pó de café para provar o olfato.
7 – Não ter torcida nem aglomeração.

São regrinhas de comportamento e higiene que podem ser mantidas mesmo depois da pandemia, quando o Brasil tiver a doença controlada, ou uma vacina. O novo coronavírus traz uma série de caminhos novos na convivência da sociedade. É preciso aproveitar no nosso dia a dia o que é bom e o que pode ser seguido, independentemente da fase da covid-19 ou até da sua cura. No futebol, há muitas coisas interessantes sendo pensada, inclusive com melhor distribuição de dinheiro, cotas, gestões mais eficazes, respeito, mesmo com rivais esportivos, fim de mortes no futebol…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: