O plano de Juvenal: o trono e um time de estrelas conhecidas

Robson Morelli

14 de abril de 2011 | 23h13

Tudo encaminhado para a reeeleição (assim mesmo) do presidente Juvenal Juvêncio. Cardeais são-paulinos da situação dizem que não há outro capaz de conduzir o clube nesse momento. A oposição não existe, é desarticulada e fraca de ideias. Dizem ainda que JJ nunca quis continuar no trono do Morumbi. Foi praticamente empurrado para seu terceiro mandato – eles entendem que o primeiro não valeu e, portanto, que esse seria o segundo.

Coisa de político que não larga o osso. Por ideologia, acho que dois mandatos são suficientes para qualquer presidente. Ocorre que o São Paulo caminha bem com JJ. Apesar de algumas contratações ruins e de ter perdido a Libertadores (mais por culpa do elenco), o São Paulo caminha nos trilhos. O sonho de Juvenal é reunir até o começo do Brasileiro uma elenco de estrelas, de bons jogadores e, se der, de ex-são-paulinos.

Sua ideia é pioneira, diga-se. Ele sonha trazer para o time jogadores que se identificam com o clube, como Luís Fabiano, e todos capazes de arrastar multidões para o estádio. Se conseguir, entra para a história.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.