O quarentão Rogério Ceni prepara sua saída de cena

Robson Morelli

18 de abril de 2013 | 16h12

O gol, a vitória, a classificação do São Paulo para a fase seguinte da Libertadores fizeram Rogério Ceni admitir sua aposentadoria no fim do ano. O caminho já estava traçado pelo goleiro e seus familiares há algum tempo. Ceni vai até onde seu corpo consegue ir sem comprometer seu rendimento a ponto de se esquecer tudo o que ele fez para o Tricolor e para o futebol brasileiro. Não foi pouco. Emocionado por tudo o que cercou o jogador diante do Atlético-MG, Ceni deu um adeus em cadeia nacional, se não imediatamente ao menos internamente para que a ideia de abandonar o futebol se consolide aos poucos em sua cabeça. Não é fácil para jogador nenhum pendurar as chuteiras.

Não será fácil para Ceni sobretudo por tudo o que ele representa para o São Paulo. Mas é esse o destino reservado a todos os atletas de alto rendimento, o de parar um dia. Ceni prolongou esse prazo o quanto pôde. Vai se desdobrar para terminar com taça nas mãos. Seria a glória. A classificação na Libertadores da forma como foi só  faz com que ele e todos os seus companheiros corram mais para chegar até o fim. No calor do resultado, enquete feita no portal do Estadão aponta que a maioria dos participantes, quase 300 pessoas, acredita que o São Paulo chegará até a final da Libertadores. E ganhará.

O elenco já correu por Lucas na Sul-Americana do ano passado. Agora, deverá repetir a dose por Ceni. É claro que esse desejo e até sonho, para que dê certo, de fato, teria de ser combinado com os adversários. E isso não existe no futebol competitivo. O desinteressado Atlético-MG desta quarta-feira não será tão desinteressado assim na próxima fase, diante do mesmo São Paulo.

O fato é que o São Paulo zerou sua situação na competição sul-americana e se colocou na mesma condição de todos os outros times classificados. Não está mais com a corda no pescoço, tampouco ameaçado de perder técnico ou refazer elenco. Não por enquanto. Ou seja: tudo recomeça para o Tricolor. E agora com a pegada que sempre lhe caracterizou na Libertadores. O São Paulo enfrenta o Atlético-MG em jogos no Morumbi e Mineirão sem que haja favoritos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.