O que está em jogo nesta 21ª rodada do Brasileirão, com oito partidas no sábado por causa das eleições

Domingo não haverá nenhum confronto; dois estão marcados para segunda-feira: Coritiba x Bahia e Botafogo x Bragantino

Robson Morelli

13 de novembro de 2020 | 10h11

Por causa das eleições municipais, o Brasileirão antecipa sua 21ª rodada para sábado. Serão oito jogos, em horários diferentes. Apenas dois confrontos estão marcados para segunda-feira. Veja a tabela. O domingo será livre para a escolha de prefeitos e vereadores. Há muitos interesses na jornada, e também muita preocupação com a covid-19 dada a semana de muitos contaminados no Santos e até de jogador na seleção brasileira, Gabriel Menino, do Palmeiras, que foi cortado e está em quarentena. Entenda o que cada time busca em algumas dessas partidas.

1 – Santos x Inter
O time da Vila pediu para que esse jogo fosse adiado em função do número de contaminados pela covid-19 no elenco. São 10 e parte da comissão técnica, entre eles o treinador Cuca, internado. O Santos tem 31 pontos. Se ganhar na Vila, vai a 34 e se mete entre os primeiros colocados. Terá a semana para treinar e recuperar seus jogadores e pode ganhar fôlego. O Inter joga por dois motivos claros: manter a ponta da tabela (36 pontos) e ganhar a primeira com Abel Braga, que ocupou a vaga de Eduardo Coudet. Abel perdeu na Copa do Brasil para o América-MG.

2 – Sport x Vasco
Com eleição tumultuada em São Januário, o Vasco precisa superar o Sport fora de casa para tentar deixar a zona de rebaixamento. É 18º, com 19 pontos em 19 jogos. O time do Recife ocupa posição intermediária.

3 – Corinthians x Atlético-MG
Para o time de Sampaoli o jogo vale a possibilidade de assumir a ponta em caso de derrapada do Inter. O Atlético causa estragos grandes no Flamengo após a vitória de 4 a 0, com a demissão de Domènec. Vai ao estádio do Corinthians para tentar a mesma coisa. Cabe ao mandante segurar o time mais embalado. De quebra, Mancini precisa fazer seu time jogar e somar pontos. O Corinthians ainda não se livrou da parte inferior da tabela. Tem muita gente nos seus calcanhares.

4 – Grêmio x Ceará
Falta ao Grêmio mais uma vitória para que se faça valer a promessa de Renato Gaúcho, de que a equipe iria chegar no pelotão de cima depois de tantos altos e baixos. Uma vitória do clube gaúcho embola tudo. Chegaria a 33 e começaria a ver os primeiros colocados mais de perto. Há um caminho ainda a ser percorrido, aliado com outras competições. Ao Ceará, uma dúvida: economizar no elenco pensando na Copa do Brasil na próxima quarta diante do Palmeiras após derrota de 3 a 0 ou apostar no Nacional? O Ceará tem 23 pontos e corre riscos.

5 – Fortaleza e São Paulo
Mesmo fora de casa, o São Paulo está mais leve após bater de novo no Flamengo, agora pela Copa do Brasil na ida, no Rio. Que jogo! Mas há o compromisso de não deixar a peteca cair. O Tricolor é um dos melhores times do Brasileirão. E está na briga com Inter, Flamengo, Atlético-MG… Ao Fortaleza resta se erguer sem Rogério Ceni, que foi para o Fla. O clube não se livrou dos perigos do rebaixamento.

6 – Flamengo x Atlético-GO
Rogério Ceni vai atrás de sua primeira vitória no Flamengo, após derrota para o São Paulo em sua estreia, pela Copa do Brasil. Precisa ganhar. Questão de honra pelo tamanho de sua chegada. O time de Goiás vai pagar o pato. E ficará mais ameaçado no Brasileirão.

7 – Palmeiras x Fluminense
Embalado, o Palmeiras quer fazer mais uma vítima em seu estádio. Não será fácil. São times iguais. Com 31 pontos, o time do português Abel Ferreira precisa de mais 3 para se juntar aos líderes. O que também está na pauta do Flu, que tem 32 e faz um mês bem legal na competição. Os dois times devem jogar com força máxima.

8 – Goiás x Athletico-PR
Rivais da parte inferior da tabela, último e penúltimo colocados, quem ganhar vai chorar menos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.