O Santos está quase lá

Robson Morelli

26 de maio de 2011 | 00h24

Foi uma vitória magra, de apenas 1 a 0, mas com a cara dos times de Muricy Ramalho. Fez o que precisava para viajar ao Paraguai semana que vem com o regulamento debaixo do braço diante do Cerro Porteño. O empate serve ao Santos. É o último estágio para chegar à final da Libertadores. O santista está empolgado. Se fosse santista, também estaria. Principalmente porque teria no meu time esse moleque chamado Neymar. Jogou sozinho. Jogou para ele e para seu amigo Zé Eduardo, o único vaiado ontem. Pudera. Não acertou nada e andou atrapalhando em alguns momentos. Fora isso, tudo ocorreu conforme o script do treinador. E o torcedor, 31 mil, foi pra casa satisfeito.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.