O São Paulo combinou de somar 4 pontos nos dois próximos jogos. Combinou com quem?

Robson Morelli

23 de julho de 2013 | 23h13

O futebol tem dessas coisas. Quando um time vai mal, os jogadores se unem no vestiário e combinam que vão somar determinado número de pontos nas próximas partidas. Assim, do nada. E foi exatamente isso que os jogadores do São Paulo fizeram nesta semana, depois da surra sofrida para Luan, digo, para o Cruzeiro por 3 a 0, dentro do Morumbi, somando a sétima derrota seguida e a 10ª partida sem ganhar. Portanto, em crise.

O São Paulo combinou que vai somar quatro pontos dos seis que disputará entre essa quarta-feira e o fim de semana, contra Inter e Corinthians, respectivamente. Ah, claro, com um detalhe: combinou sem avisar os adversários. Vai ganhar de um e empatar com o outro, não necessariamente nessa ordem. Mas isso, segundo Luis Fabiano, pouco importa e também não é exatamente o que o São Paulo precisa, “mas é um começo”.

O atacante disse isso na maior ingenuidade, em entrevista de 25 minutos no CT da Barra Funda, como se fosse fácil arrancar quatro pontos de duas equipes teoricamente, e também pelos números da tabela do Brasileirão, mais fortes, mais entrosadas e em melhor momento, além de jogar com maior confiança. Tudo o que o São Paulo não fez até agora, fará nesta semana, assim, num passe de mágica.

O que Ney Franco e agora Paulo Autuori não conseguiram fazer, Luis Fabiano garante que o grupo fará antes da viagem para a Alemanha para disputar um torneio, sabe-se agora pela má fase, em péssima hora. Em suas declarações, Luis Fabiano baixou a cabeça ao pedido do treinador para que ele se movimente mais em campo. Disse: “Talvez eu precise de mais movimentação, mas sou diferente do Osvaldo, que corre sem parar o tempo todo. Todo mundo conhece minhas características”.

Luis Fabiano foi irônico, embora tenha se mostrado atento aos pedidos do chefe. Vai ajudar. Talvez seja tarde. A situação do São Paulo é delicada e seu atacante não responde mais como antes. Nada me tira da cabeça que a fase ruim de Luis Fabiano veio quando Felipão o preteriu da seleção brasileira para ficar com Fred, que depois voou com a 9  na Copa das Confederações. Ali, o jogador são-paulino pirou.

É claro que Luis Fabiano não pode carregar sozinho o fardo da crise tricolor. Seria injusto demais com ele e fácil demais para os outros que, como ele, não estão jogando nada. A lista é grande: Douglas, Denílson, Lúcio, Ganso, Osvaldo… Combinar que não perderão nas próximas duas rodadas do Nacional não basta. É preciso que o time jogue mais e melhor, corra o bastante para surpreender os adversários e aprenda a se defender durante os 90 minutos, do começo ao fim do partida. Sem isso, nada combinado.

Tudo o que sabemos sobre:

São Paulo fc; luis fabiano; corinthians

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.