Os clubes precisam ser responsabilizados

Robson Morelli

24 de fevereiro de 2010 | 10h14

Dada a total indiferença das instituições públicas sobre as brigas e mortes que acontecem no futebol brasileiro, como a ocorrida domingo entre são-paulinos e palmeirenses, a esperança do torcedor de bem que ainda se dispõe a levar seus filhos aos estádios certo de que nada de mau vai acontecer a eles recaí sobre as entidades esportivas. As Federações estaduais e a CBF devem baixar leis específicas de punição aos clubes mandantes caso ocorram brigas de torcidas, mortes e espancamentos como os que vimos pipocarem domingo nas ruas da cidade.

A mais trágica vitimou um torcedor nas imediações de Jundiaí, na rodovia dos Bandeirantes. Outros 20 ficaram feridos após confrontos em bairros periféricos ao Palestra Itália, onde foi o jogo. Não interessa se a briga não foi dentro do estádio, e se tivesse sido daria para acusar o mandante com todas as letras de negligênciar a segurança, e não esperar simplesmente que os batalhões da Polícia Militar façam esse serviço em troca de um suco de uva e de um pão com mortadela. Isso é ridículo para um futebol que movimenta milhões.

As polícias estão num fogo cruzado entre coibir a violência, e em certos casos só é possível fazer isso com mais violência, e ser delatada por abuso de autoridade. Trata-se de uma saia justíssima porque sabemos que os torcedores são capazes de enfrentar policiais dentro e fora dos estádios, uma afronta que não passa pela cabeça de pessoas do bem.

E quando acontecem as mortes, as instituições despejam um monte de blablablá sobre como resolver o problema. Promessas são feitas, algumas pessoas são detidas, esquema são montados que quase sempre darão em nada. E mais blablablá. Ocorre que não dá mais para aceitar esse tipo de comportamento das arquibancadas. E os clubes precisam pagar pelo que criaram lá atrás, as organizadas, as gangues, os arruaceiros. Claro, porque em determinado momento desta história, eles estiveram de mãos dadas: clube e torcedor. É preciso dar um basta.

A morte ocorreu em São Paulo, mas poderia ter sido em Minas, Rio, Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia. Morreu um palmeirense, mas poderia ter sido um são-paulino, um corintiano, um santista, um cruzeirense, um flamenguista. Não há santos nesta composição.

Por isso é que as federações, e a CBF, devem envolver os clubes mandantes. Brigou, no estádio ou na rua, punição dura. Cinco mandos sem torcida. Não é preciso nem marcar os jogos em outros estádios. Os portões fechados refletem nos cofres. Cinco jogos são quase R$ 4 milhões de renda. Sem esse dinheiro, sem patrocinador, sem oba-oba, o clube não terá como bancar jogadores medianos, as equipes vão se enfraquecer e o torcedor briguento vai sentir na pele. Será responsabilizado. Não terá mais para quem torcer. Brigou de novo, mais cinco jogos.

Se for preciso, teremos uma temporada inteira perdida para moralizar o futebol. Tem de saber perder, tem de saber respeitar o outro, o diferente, o ‘rival’. Imagina se durante a Copa do Mundo de 2014, o Brasil perde para a Itália e é eliminado da competição. Vamos então sair batendo nos nossos vizinhos italianos (todo mundo tem um vizinho italiano)? Não, claro que não.

Aí o camarada que briga com o torcedor de outro time, vai num restaurante qualquer e encontra jogadores de Palmeiras e São Paulo se confraternizando como bons amigos que são. E o babaca achou que deveria bater no outro em prol do seu time do coração. Ora.

O QUE SEGUE ABAIXO É UMA LISTA DE OCORRÊNCIAS CONSEGUIDAS PELA POLÍCIA MILITAR. SE VOCÊ TIVER PACIÊNCIA PARA LER, VERÁ QUE NÃO É DE HOJE QUE SOFREMOS COM ESTE PROBLEMA. HÁ AINDA OCORRÊNCIAS DE 2002/2003/2004…

RELETÓRIO OFICIAL DA POLÍCIA MILITAR
Ocorrências envolvendo Bombas de fabricação caseira no período de 1995 até 2001.

18/01/95 – Palmeiras x São Paulo/Juniores – Pacaembu – arremesso de bomba pela torcida do São Paulo na própria torcida.
26/03/95 – Palmeiras x Juventus/Aspirantes – Pq. Antártica – Encontro de(duas ) Bombas na frente da sede da Torcida Mancha Verde.
02/04/95 – Palmeiras x Corinthians – Pacaembu – dois arremessos de bombas 01(uma) bomba caseira e 05 (cinco) morteiros apreendidos – 01 indiciado ao 23º DP.
07/06/95 – Corinthians x Guarani – Pacaembu – Encontro de (duas) Bombas entre as cadeiras numeradas cobertas azuis e amarelas.
29/09/96 – Palmeiras x São Paulo – Pq. Antártica – 23º DP – 02 indiciados 01 (uma explosão de Bomba).
23/02/97 – Corinthians x São Paulo – Morumbi – Apreensão de material explosivo – 03 (três) indiciados ao 34º DP.
31/08/97 – Corinthians x São Paulo – Pacaembu – Encontro de material explosivo na parte externa.
13/09/97 – São Paulo x Botafogo – Morumbi – Encontro de (duas) Bombas.
15/03/98 – Corinthians x Palmeiras – Morumbi – 34º DP – 02 (dois) indiciados de posse de artefato explosivo.
19/04/98 – Palmeiras x São Paulo – Morumbi – 34º DP – 02 (dois) indiciados, porte de Bomba Caseira.
03/05/98 – Corinthians x São Paulo – Morumbi – Encontro de 03 (três) Bombas no estacionamento.
10/05/98 – São Paulo x Corinthians – Morumbi – Encontro de (duas) Bombas na parte externa e (uma) na embocadura 11 do 4º setor.
26/07/98 – Pacaembu – São Paulo x Palmeiras – 04 (quatro) fogos de artifícios (rojões) – 01 (um) indiciado ao 23º DP.
15/08/98 – Pacaembu – Corinthians x Botafogo – fogos de artifícios recolhido após revista no ônibus da torcida do Botafogo, explodiu na Vtr 92307 no momento que seria guardado na mesma 01 (um) indiciado – 23º DP.
03/10/98 – Morumbi – Palmeiras x Corinthians – Soltar fogos – 02 (dois) indiciados 34º DP.
24/10/98 – São Paulo x Corinthians – Morumbi – 34º DP – 07 (sete) indiciados, 29 (vinte e nove) Bombas de Fabricação Caseira, 67 (sessenta e sete) rojões, 08 (oito) indiciados ao 34º DP, e 03 (três) bombas de fabricação caseira, 17 (dezessete) rojões e 76 (setenta e seis) indiciados ao 4º DP.
06/12/98 – Corinthians x Santos – Pacaembu – 23º DP – 02 indiciados, 01 uma Bomba de fabricação Caseira.
24/02/99 – São Paulo x Vasco da Gama – Morumbi – Encontro de (uma) bomba caseira na arquibancada da torcida do Vasco da Gama.
27/02/99 – Corinthians x Palmeiras – Morumbi – Houve uma explosão no setor amarelo torcida do Corinthians arremessada por torcedor do Palmeiras não identificado.
03/03/99 – Santos x Vasco da Gama – Morumbi – Arremesso de (duas) Bombas por parte da torcida do Vasco da Gama.
14/03/99 – Corinthians x São Paulo – Morumbi – 14º DP – 01 (um) indiciado, posse de Artefato Explosivo.
18/04/99 – São Paulo x Palmeiras – Morumbi – 34º DP – 01 (um) – menor sindicado, posse de Artefato Explosivo e 01 (um) ato infracional – menor – posse artefato explosivo ao 3º DP.
21/04/99 – São Paulo x Portuguesa – Morumbi – 89º DP 01 (uma) ocorrência de Bomba de fabricação Caseira e outra ao 34º DP tendo qualificados 84 torcedores.
21/04/99 – Corinthians x Willsterman – Pacaembu – 34º DP – 3l (trinta e um) maiores indiciados e 10 menores. e ao 89º DP – 01 (um) indiciado menor.
23/05/99 – Corinthians x Santos – Morumbi – 34º DP – 01 (um) indiciado e 01 (uma) bomba de fabricação caseira.
30/05/99 – Palmeiras x Portuguesa – Pq. Antártica – 03 explosões – Bomba (Vítima Sr Enio Bianchi).
06/06/99 – Corinthians x São Paulo – Morumbi – 34º DP – Foi detida uma torcedora menor Pámela Cardoso de Santana RG 20767.973 tentando entrar com uma bomba de fabricação caseira no estádio. 2ª Cia P Chq.
13/06/99 – Corinthians x Palmeiras – Morumbi – Foi detido o menor portando bomba de fabricação caseira, 34º DP.
16/06/99 – Palmeiras x Deportivo de Cali – Pq. Antártica – 01 (um) individuo socorrido ao HC com a mão dilacerada devido a um estouro de um rojão. Ocorrência reg. 23º DP.
29/08/99 – Corinthians x São Paulo – Pacaembu – 3º Sgt PM Felix encontrou Bomba Caseira no Interior do Tobogã junto a torcida do SPFC.
26/09/99 – Palmeiras x Santos – Pq. Antártica – Fernando Pretti Senatori – surpreendido lançando um rojão contra torcida adversária e posteriormente dispensando uma bomba de fabricação caseira para evitar a revista do porte de arma.- 23º DP.
03/10/99 – São Paulo x Palmeiras – Morumbi – Rocam – Encontro de Bombas Caseiras nas proximidades da Av. Jorge João Saad, onde foi encontrada junto ao meio fio um artefato (Bola de sinuca envolta em plástico e pólvora), e pela Av. Giovani Gronchi encontrou-se uma bola de gude envolta em plástico e pólvora, ambas conduzida ao PC interno. Informações do PC interno de que foi encontrada Bomba de fabricação caseira na Rua Cmt Lira, não sendo detectado o portador e também alguns fogos de artifício em um ônibus que conduzia a torcida do São Paulo F. C.
10/10/99 – São Paulo x Internacional – Morumbi – Rocam 13 efetuava policiamento pela Av. Giovanni Gronchi, onde foram solicitados por populares que informara que, algumas quadras à frente na mesma avenida, um grupo de torcedores do São Paulo F. C. estaria linchando um transeunte, chegando no local, encontrado o civil de nome RAMON CARLOS DE SOUZA, trajando somente cueca e bastante machucado, que informou que havia sido agredido e suas vestes subtraídas juntamente com sua carteira, apontando para um grupo de pessoas usando uniformes do São Paulo F. C., efetuado a detenção dos mesmos após identificação da vítima, foi encontrado com os agressores, artefatos explosivos, todos (05 cinco envolvidos e 06 seis adolescentes por ato infracional) encaminhados ao 89º DP e autuados por flagrante delito de roubo qualificado, porte de artefato explosivo, formação de quadrilha ou bando e corrupção de menores.
27/10/99 – Portuguesa x Flamengo – Canindé – Durante a revista pelo portão 03, foi localizado 13 morteiros de fabricação caseira com torcedor do flamengo, conduzido ao 12º DP onde foi feita apreensão de 13 (treze) artefatos “Bomba caseira” localizado em poder de torcedor do Flamengo durante o porte de arma, BO/PC nº 6717/99.
05/12/99 – Corinthians x São Paulo – Morumbi – 07 torcedores do São Paulo efetuaram disparos contra dois torcedores corintianos, vindo a alveja-los, C-01 de ROCAM diligenciou pelo local (Av Roque Petroni Jr), logrando deter os indivíduos no interior de um Kadett, encontrando com estes: 01 bomba de fabricação caseira e dois revolveres.Conduzidos ao 34º DP, foram autuados por formação de quadrilha, roubo e tentativa de homicídio. – Na esquina das Avenida Teotônio Vilela com Av Belmira Marin, pelo bairro do Grajaú, foi encontrada, na via pública, 01 (uma) bomba de fabricação caseira e 04 (quatro) rojões.
22/12/99 – Durante revista em ônibus da torcida do Atlético Mineiro,por volta das 16:00h, na Ponte Jânio Quadros com Av Morumbi, foram encontrados 02 (dois) artefatos explosivos no interior dos veículos, quando se deslocavam com torcedores para assistirem ao jogo final do Campeonato Brasileiro/99, no Morumbi.
09/02/00 – Torneio Rio/SP – Morumbi – Palmeiras x Corinthians, foram encontrados 04 (quatro) rojões intactos, e entregue ao Oficial de Dia.
07/05/00 – Campeonato Pta – Morumbi – Corinthians x Palmeiras, o Sgt PM Pinto , 1ª Cia
encaminhou ao Comissário de Menores o torcedor Rodrigo de Giz Silva, por portar material explosivo (pólvora) rojão.
28/05/00 – Campeonato Pta – Morumbi – São Paulo x Corinthians, Cmdo 03 Rocam e Rocam 102, ao efetuar abordagem no ônibus da torcida do São Paulo, notadamente uma facção da torcida independente, foi encontrado após uma revista, em poder da torcedora Hadassa Rosa dos Santos, RG. 30.169.432-1, 11(onze) bombas de fabricação caseira de impacto, 03 (três) rojões caramuru de 13 tiros, 02 (duas) bolas de bilhar na cor azul, 01 (uma) lata de fumaça sinalização e 01 (uma) garrafa plástica contendo 02 (dois) listro de gasolina. Partes encaminhadas ao 34º DP – elaborado flagrante de porte de material explosivo.
03/06/00 – Semifinal Campeonato Paulista – Morumbi – Corinthians x São Paulo, Cmdo 03 ao efetuar abordagem em torcedores corintianos, logrou encontrar em poder de Jefferson Guimarães da Silva, 18 anos, uma bomba de fabricação caseira – 89º DP – Bo 1564/00.
18/06/00 – Final Campeonato Paulista – Morumbi – São Paulo x Santos, encontrado uma Bomba de fabricação caseira com um menor, o mesmo foi encaminhado ao Comissário de menores.
21/06/00 – Copa Libertadores da América – Palmeiras x Boca Jr – Estádio do Morumbi –
foram apreendidas 10 Bombas explosivas e 01 bolsa de lona marrom , em poder do Sr Juan Manuel, torcedor argentino, RG 24.852.742.
22/10/00 – Copa João Havelange – São Paulo x Guarani – Estádio do Morumbi – Foi conduzido pela Cmdo 04 de Rocam, um ônibus da torcida do guarani com 40 torcedores ao 34º DP, em virtude dos mesmos terem arremessado Bombas de fabricação caseiras e efetuado disparos de arma de fogo, evadindo-se do local. O ônibus foi detido sendo apreendido uma Bomba caseira, apreendida também pelo 34º DP. Foi efetuado B.O./PM 3308 de natureza subversão/ terrorismo B. O ./PC 5737/00 de natureza explosão.
12/11/00 – Copa João Havelange – São Paulo x Corinthians – Estádio Morumbi – Houve uma explosão de uma bomba caseira, junto a torcedores do Corinthians, junto a divisão de torcida. Foi encontrado com torcedores do Corinthians que estavam fazenda desordem no Terminal de Onibus de Vila Nova Cachoeirinha em um coletivo, 07 artefatos explosivos (Bombas Caseiras), ocorrência registrada no 28º DP BOPM de nº 2891/2000, e BOPC 5941/2000.
22/04/01 – Campeonato Paulista/01 – Conduzido pelo Sd PM RE: 843465-4 ao 2 DP Bom Retiro, por solicitação feita pelo motorista do ônibus da viação ampar – prefixo – 65252 – Osmar Araujo – onde informou que alguns torcedores deixaram no interior do ônibus 05 Artefatos Explosivos de fabricação caseira, onde a autoridade determinou a apreensão e posterior encaminhamento ao GATE.
22/04/01 – Campeonato Paulista/01 –Conduzido pelo Sd PM RE 876095-A do 7BPMM ao 4 DP Consolação, 02 Artefatos Explosivos de fabricação caseira, quando avisado por populares que no ônibus da viação Ambar – prefixo – 65252 – motorista Luis dos Santos Souza RG 2.738.830, haviam diversos torcedores com camisetas do SPFC, sendo que estavam portando tais artefatos, quando da revista nenhum objeto fora encontrado com os torcedores porém no fundo do ônibus, apreendido pela autoridade e encaminhado ao GATE, sendo que 13 suspeitos foram encaminhados para averiguação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.