Palmeiras em ebulição. Já não era sem tempo. E vem mais coisa aí

Robson Morelli

13 de março de 2013 | 18h17

Paulo Nobre e José Carlos Brunoro encaminham uma revolução silenciosa no Palmeiras, cujo único 0bjetivo é recolocar o clube no caminho das conquistas, vitórias e, sobretudo, tradição. Estamos em março ainda, mas muita coisa já foi feita na Academia nesse sentido. E a principal delas, ou pelo menos a de efeito mais simbólico e devastador, embora necessário, para acabar de vez com essa condição de ‘time refém da torcida’, é o racha com as Uniformizadas. O presidente Paulo Nobre, após as agressões de membros da Mancha a seus jogadores em Buenos Aires, tocou os torcedores de dentro do clube, cortando regalias, como a distribuição de ingressos ou venda mais em conta.

Mais que isso. Nobre pretende liderar um movimento que nasce em São Paulo, mas que deverá se esparramar pelo Brasil para que todos os clubes da primeira divisão também digam ‘não’ às arruaças das torcidas, que não é de hoje assombram a vida e o trabalho de jogadores e técnicos.

No Palmeiras, a dupla começa a dar o que falar. Cartorze jogadores chegaram ao clube, Barcos foi vendido (em negociação que começou na administração anterior) para que o time pudesse ter mais atletas no elenco, ‘chinelinhos’ e jogadores que já não rendiam mais deixaram o Palestra e, mais recentemente, uma limpa foi feita nas categorias de base.

Podem acusar o novo presidente de tudo, menos de omisso. Certo ou errado, só o tempo dirá sobre suas modificações.

O fato é que alguma coisa precisava ser feita para chacoalhar o clube, mexer com o brio dos jogadores, resgatar a confiança do elenco, mostrar aos patrocinadores que o Palmeiras é sim viável. Brunoro deve ainda neste mês começar a tocar o marketing do clube, correr atrás de patrocinadores e de novos anunciantes. O time deverá ter mais dois ou três reforços pontuais no time, como um atacante pronto, que chegue é vista a camisa do clube sem precisar de tempo para se adaptar.

Agora é tudo uma questão de tempo para que Gilson Kleina mostre seu valor ou também dê a vaga para outro mais tarimbado. Mais coisa vem aí. Paulo Nobre vai cobrar uma reação imediata na Libertadores também porque entende que esse Palmeiras tem condições de passar da fase de grupos da competição. Até o começo da Série B do Brasileiro, o Palmeiras espera ter um time competitivo e mais confiante.

Tudo o que sabemos sobre:

palmeiras

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.