Palmeiras entra sem apetite contra Corinthians, que faz 1 a 0 e joga como time pequeno

Palmeiras entra sem apetite contra Corinthians, que faz 1 a 0 e joga como time pequeno

Deyverson foi expulso porque cuspiu no colega de profissão. "Se foi isso, foi bem expulso. Deveria ter sido expulso três vezes", diz Felipão

Robson Morelli

02 de fevereiro de 2019 | 19h24

Para quem gosta de futebol, o clássico entre Palmeiras e Corinthians foi um horror, nem tanto pelo resultado, mas pela atitude dos dois times em campo. O Palmeiras, em festa desde a conquista do Brasileiro do ano passado, entrou sem apetite para enfrentar seu maior rival. Caiu na armadilha da torcida, que cantava vitória muito antes da hora. Palmeiras e Corinthians, Corinthians e Palmeiras, todos nós sabemos, não tem disso. Mas a semana foi de tranquilidade e festa. Deveria ter sido mais tensa, no bom sentido, para que os jogadores entrassem no clima. Até ontem, Bruno Henrique estava negociando sua permanência ou não no clube. Alguém precisa avisar ao elenco que 2019 começou.

Além de ter jogado com o freio de mão puxado, abusando dos cruzamento e dos escanteios sem aproveitamento, o Palmeiras não mudou seu jeitão de encarar o Corinthians após o gol, que estava fechadinho em campo. Martelou sem qualidade, portanto, entortando os pregos. O resultado, por si só, não vai mudar em nada o caminho das duas equipes no Estadual, mas o torcedor dos dois lados não gosta de perder clássico. Clássico muda confiança. Muda história. Muda caminho. Os jogadores do Palmeiras precisam cair na real, parar de pensar que o time é o melhor do Brasil, embora possa ser, e passar a jogar futebol, provar sua qualidade em campo.

Do lado do Corinthians, o gol tirou qualquer coragem de o time encarar o Palmeiras de igual para igual. A tradição desse jogo pedia mais, pedia um Corinthians mais valente, mais corajoso, mais disposto a jogar bola e a não se defender tanto. Essa postura fez com que o jogo ficasse feio, sem pegada. O Palmeiras errando as conclusões e o Corinthians se acovardando na casa do rival. No resumo do resultado, ganhar de 1 a 0 no Allianz Parque deve ser festejado pelo Corinthians e chorado pelo Palmeiras.

ARBITRAGEM
Tirando o fato de o árbitro ter sido escolhido pela FPF uma vez que ele teve problemas com Felipão e com o próprio Palmeiras no passado, de acordo com a diretoria e com alguns jogadores do time, a arbitragem não teve qualquer influência no resultado, nem mesmo na expulsão de Deyverson, que cuspiu na frente do juiz num rival. Cuspir é ato de jogador mal caráter. Tinha de ser punido mesmo. Não fosse a cusparada, ninguém seria expulso. Henrique foi maldoso, mas ele e o jogador do Palmeiras esticaram os pés para um acertar o outro. Deyverson foi expulso porque cuspiu num colega de profissão. “Se foi isso, foi bem expulso”, disse Felipão. “Tem de ter respeito.” O Palmeiras não tem de passar a mão na cabeça do atacante.

Mais conteúdo sobre:

futebolpalmeirasCorinthians